quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Muita carne!

Tenho carnes para você se deliciar,
Tenho peitos voumosos,
A bunda enorme
E a xoxota carnuda!





--------------------------------------------------------------
Belas, gostosas e...
DOTADAS!
Clique aqui!
--------------------------------------------------------------

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Meu grelo tem vida própria!

Não existe algo com mais sensibilidade num corpo feminino do que o grelo e com o passar dos anos ele muda. Os anos se encarregam de derrubar a aparência, com o tempo perdemos os rostinhos angelicais, se encarregam também de derrubar a bunda e os peitos e como nada é eterno, inclua-se nesta destruição lenta e gradual, a sensibilidade do grelo. Não, não! De maneira nenhuma quero dizer que o grelo perde o tesão, pelo contrário:
-Ele fica mais seletivo e exigente! 
Lembro-me de quando eu era apenas uma garotinha e descobri a felicidade tendo meu primeiro orgasmo, quase de forma casual, fruto da curiosidade infantil com seu próprio corpo e apalpando meu grelinho sob as cobertas numa noite fria, naquela época, um grande desconhecido para mim. Confesso, fiquei em pânico num primeiro momento, tive medo de ter me causado algo terrível, quando o coração quis sair pela boca e meu corpo tremeu por inteiro, depois senti um alivio deliciosos e nunca mais parei. Com o tempo os orgasmos se multiplicavam e tive muitos, sonhando com atores famosos, me esfregando na beira do colchão ou com o travesseiro entre as pernas. Naqueles dias era assim, muita imaginação e uma esfregadinha qualquer e pronto, parecia que eu tinha um milhão de orgasmos, prontos para explodir, ali naquele lugarzinho, bem no meio das pernas. Eu me deleitava com a facilidade para tantos orgasmos e até meu calcanhar serviu de estopim para alguns deles.
- Como era bom!
Com o tempo, o amadurecimento fez esquecer as facilidades e aquele grelo sensível, que se arrebitava com qualquer toque, foi desaparecendo. Claro, ele continuou lá, no mesmo lugar de sempre, até cresceu um pouquinho, mas nunca mais foi um grelo ingênuo, com orgasmos tão banais.
- Hoje em dia se não é do jeito que ele gosta, nada feito!
É chato descobrir que aquele grelo pueril não existe mais! Entretanto, ele adquiri vícios e torna-se mais substancioso, dizem que até saboroso, experiente e conhecedor dos seus mistérios.
Bem diferente do que ele era, lisinho e rosado, está mais volumoso, mas ainda continua jeitoso, apesar de enrugadinho, coisa e tal, tanto que dependendo do tipo de tecido da calcinha, ele incomoda e reclama, algo que naquela remota época não acontecia, pois ele ficava bem escondido, entre os lábios gordinhos da minha "xexeca" (isso mesmo, meninas possuem xexeca, xereca, perereca!).
Atualmente meu grelo não tem mais faísca instantânea, capaz de incendiar com um simples toque inadvertido. Ele adquiriu regulagem e precisa de um toque adequado do jeito que ele gosta, para colocar fogo, digamos hoje em dia ele tem partida elétrica e também pega no tranco.
Mas de certa forma, ele continua dependente dos olhos, do nariz e dos ouvidos, pois as vezes fica em polvorosa, frente a visões, cheiros e sons.Pelo menos nessas situações ele não se modificou, já pensou não sentir tesão ao ver um corpinho gostoso? Ou ficar indiferente à perfumes sensuais e não se alterar com propostas e palavras "interessantes"?
- Seria um caos!
Sinceramente, eu acho que o grelo tem vida própria, no fundo, eles se sentem importantes e querem ser ouvidos. São teimosos e impacientes. Quando eles querem, eles querem e não adianta lutar contra! De um jeito ou de outro, é preciso dar-lhes alívio, estejamos sozinhas ou acompanhadas.
À propósito... Você já ouviu seu grelo hoje? Aposto que ele despertou, enquanto você lia este texto! De atenção para o seu grelo, afinal de contas ele merece! A vida seria monótona sem o grelo!
- Eu amo meu grelo!






--------------------------------------------------------------
Belas, gostosas e...
DOTADAS!
Clique aqui!
--------------------------------------------------------------

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Amor de pica, é o que fica!

Sedenta! É como eu me sinto, quando penso em sexo e naquele antigo amigo de cama, que um dia foi o personagem dos meus pensamentos e protagonista das minhas fantasias.  É dele que eu lembro, quando sozinha, me esqueço do resto e em recolhimento no meu quarto, me diverto no meio das minhas pernas. Lembro-me das várias vezes que fizemos sexo e que ele me penetrou das vezes com um tesão fantástico e extremamente enrijecido, mas também fantasio com cenas que nunca protagonizamos e que ficou somente na vontade. Por quê? Eu não sei, não deu tempo para fazer ou em meio à empolgação esqueci. Claro, ele era tão dedicado e safado, que realizava qualquer coisa que eu pedisse. Imaginem então o que nós dois aprontamos! Vontade é o que nunca faltou entre nós. Para falar a verdade, sempre que eu ficava tesuda e isso não é muito difícil de acontecer, eu o chamava e não lhe dava folga.
Entre todos os paus que eu conheci, o dele é o que mais me satisfez e tornou-se o meu favorito. Digamos, o pau da minha vida. Faz tempo que não o vejo, tampouco o pego na mão, mas o que ele me fez sentir, está aqui, vivo dentro de mim, como se o sentisse agora, entrando e saindo, rasgando a minha carne.
Bem, creio que depois que me rasguei de elogios à ele, vocês querem saber o por quê? Ele é grosso, não é muito comprido, uns vinte centímetros talvez, portanto não é algo descomunal e exagerado, mas conseguia dar a sensação de preenchimento exato, nem mais e nem menos do que isso, tamanho perfeito para mim. Dizem que tamanho não importa, eu discordo, pau pequeno demais, o cara tem que ser muito bom em outros quesitos e grande demais pode ficar a meia-boca, uma coisa nem mole e nem dura, alguns precisam segurar e apertar a base para fazer o serviço, fica sem graça, não natural, sinceramente: broxante! Não, de maneira nenhuma, não quero dizer que esse ou aquele tamanho é bom ou ruim, mas depende de muitos fatores e da adaptação.
Voltemos ao pau do meu amigo, além das proporções, ela lindo, repleto de veias, a cabeça rosada e cabe o melhor de tudo, retinho. Sim, retinho como uma lança.  O principal é que essa delícia exótica e rara, é acompanhada por um desempenho de fazer inveja a qualquer ator pornô e sabe que a regra mais importante: não finalizar antes que nós, mulheres, tenhamos gozado. 
O diferencial, é que o meu amigo permitia que quebrássemos regras e padrões e conseguia ficar com o pau duro mesmo depois de gozar. Meninas, imaginem: Ele gozava e eu podia continuar me divertindo, sem me preocupar com broxadas e esperar pela sua segunda gozada. Quando passávamos a noite juntos, muitas vezes o peguei dormindo de pau duro, era só cair de boca, desfrutar um boquete gostoso e ganhar leitinho na boca ou, pular para cima e cavalgar, sem nenhum esforço. 
As vezes, quando me masturbo, imagino ele no meu cuzinho e como era delicioso. Segundo ele mesmo, eu fui corajosa e uma das poucas que liberaram a área vip para ele. Cá entre nós, liberei por que eu adoro. Mas, vocês lembram, que eu disse logo acima, que quebrávamos regras e padrões? Portanto, não foi um presente, mas troca de experiências, pois ele também liberou a porta dos fundos para mim. Claro, custou um pouquinho para convencê-lo, mas matei a curiosidade de ver como um homem age quando está sendo possuído, de início foi um fio-terra, depois um brinquedinho. Experimentem, a sensação de poder é deliciosa.
É por tudo isso que eu não o esqueço e, confesso... Preciso dar o braço à torcer e concordar:
- Amor de pica, é o que fica!

--------------------------------------------------------------
Belas, gostosas e...
DOTADAS!
Clique aqui!
--------------------------------------------------------------

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Mulher é foda!

Desde sempre, nas produções cinematográficas, com exceção de poucas, como a saga de Scarlett O'Hara em Tara do filme "E o Vento Levou...", nos livros, na educação dos filhos, na postura dos homens escorados na esquina, nos bancos das praças: o homem é o motor sexual e a mulher vai em um segundo plano, uma mera coadjuvante.
Mesmo nas produções do cinema pornográfico, a mulher não passa de um objeto sexual, ainda que o titulo dê a elas o status de poderosas devassas. As produções vão na direção da satisfação dos desejos masculinos, tanto para fazer sexo, como para se deliciar ao assistir.
É masculino, o instinto de fecundar o maior número de fêmeas e passar adiante a sua genética. É feminina a tendência da escolha única do melhor companheiro, para gerar e fazê-la mãe, segurando o macho no seio doméstico, para a sua proteção e da prole.
Isso têm garantido e determinado, desde os primórdios da sociedade, a relação de força entre os dois sexos, como um muro indestrutível, uma filosofia que se arrasta por séculos infindáveis. Porém que as muralhas estão indo abaixo.
Pesquisas e estudos, fazem descobertas a respeito da sexualidade feminina e questionam premissas que há muito estão estabelecidas em nosso meio.  A idéia de que os homens gostam mais de sexo que as mulheres está indo por água abaixo. Até pouco tempo atrás, os hormônios masculinos eram as bençãos do sexo e os femininos a desgraça para ele. Surgiram novos conceitos científicos, novas descobertas hormonais, aumentando muito os conhecimentos que até pouco tempo, resumiam-se a testosterona e progesterona.
O estrógeno é a poderosa substância que desperta a libido feminino, porém os homens também o possuem para evitar uma série de doenças como por exemplo, a osteoporose.
Os estudos sobre o clitóris e comportamento, provaram que a mulher é um ser voltado ter prazer no sexo e que a sua vocação para a monogamia não passa de um conceito errôneo e em nada tem a ver com a sua natureza sexual, isso por sinal é algo referente a quase todas as espécies animais, das moscas ao maiores mamíferos, acasalam-se com vários machos, durante a sua vida.
A mentalidade de que somente os machos são poligâmicos é o maior mito da sexualidade humana. O adultério é tão comum entre nós, quanto o casamento. A fidelidade é uma opção, mas não uma imposição biológica. 
O Movimento feminista, da queima dos sutiãs à atualidade, baseia-se no conceito de igualdade para homens e mulheres e que a mulher tem direito ao prazer, do mesmo jeito que o homem. O conceito feminista acerta no objetivo social e sexual, mas erra diretamente no seu argumento de igualdade, pois homens e mulheres não são iguais. Não se pode negar , são totalmente diferentes na forma como lidam com sexo e desejo. Mas, isso não quer dizer que as diferenças proclamam uma supremacia masculina. Bem ao contrário disso, a mulher tem formas de prazer mais sofisticados que os homens. A sexualidade feminina é mais abrangente, inclui romance, elementos estéticos (lençóis, roupas e ambientes), dançar, jantar, sentidos (olfato, visão, toque). A  sexualidade masculina é concentrada no momento orgásmico.Em outras palavras, desejo sexual dos homens é mais constante e objetivo; o das mulheres, mais intenso e amplo. Isso faz ruir o conceito de que a busca do prazer seja exclusiva do sexo masculino. Nesse sentido, como explicar que são as mulheres, e não os homens, que possuem corpo exclusivamente planejado para o deleite sexual, com seios, vagina, vulva e clítoris, extremamente sensíveis?
O orgasmo feminino é tão complicado que ainda não há uma tese suficientemente esclarecedora e estamos muito longe de entendê-lo. Ninguém  até hoje é capaz de explicar as diferenças entre orgasmos vaginais e clitorianos, ou se ambos são apenas etapas de apenas um, pois nunca foi identificado uma razão organica para a separação definitiva, o que se sabe, são depoimento de mulheres sobre as diferenças.
Além disso, há também os orgasmos múltiplos - algo que homem nenhum é capaz de conseguir, compreender e sentir menos ainda. O multiorgasmo, são na verdade, orgasmos menores um após o outro, numa série rápida de excitação entre cada um dos clímax. Ou seja, um êxtase depois do outro, sem precisar de novas fases de excitação, porque se mantêm num nível de tensão sexual elevada por muito tempo. Todas as mulheres têm a possibilidade de ter um multiorgasmo, mas poucas provam pois depende de características inatas.
Tecnicamente, o orgasmo feminino é um reflexo do corpo, que se manifesta por contrações vaginais e  resultado direta de uma combinação complexa de estímulos. Podem ser físicos, visuais, imaginários, clitorianos, táteis, etc.
O desejo sexual pode se reduzir por motivos orgânicos ou doenças, que passam a produzir em excesso a prolactina, hormônio inibidor da libido (responsável pela perda de apetite sexual durante a amamentação), mas é raríssimo. Poucas mulheres são fisicamente incapazes de ter orgasmo. 
As mulheres estão mais sujeitas que os homens aos obstáculos emocionais que atrapalham o sexo, seu sofisticado mecanismo de prazer é imensurável. A mulher através de sua mente, tanto pode bloquear o prazer quanto dar vazão a ele. Há mulheres que chegam ao orgasmo somente criando fantasias com os seus pensamento. O gênero feminino dá uma surra nos homens quando o assunto é fantasia sexual e na hora de manifestá-las. Para isso, lança mão de muitas ferramentas que lhes são disponíveis, faz curso de sexualidade, de dança do ventre, de strip-tease, compra lingeries, usa e abusa de roupas e decotes, etc; enquanto o homem  se preocupa mais com a sua rigidez e sua potência sexual, ou seja, manter-se duro e não negar fogo.
Para nós, esse novo entendimento de como o desejo se manifesta nas mulheres, é ótimo, pois ter consciência da sua sexualidade é um grande passo para sentir mais prazer e ser mais feliz. Para os homens, ampliam-se as possibilidades para finalmente encontrarem mulheres bem resolvidas, desejosas e felizes e os horizontes de terem uma vida sexual mais sadia e satisfatória, se absorverem os novos conceitos.
Definitivamente, neste planeta, nós, as mulheres, somos o ser mais sexual e mais dotado de possibilidades para a obtenção de prazer!
Nós somos foda!





--------------------------------------------------------------
Belas, gostosas e...
DOTADAS!
Clique aqui!
--------------------------------------------------------------