terça-feira, 12 de setembro de 2017

Boquete é uma arte!

 por H. Thiesen 

Chupar um pau é algo natural, ou mais do que isto, é um reflexo, um instinto adormecido do ser humano, tanto que qualquer um de nós, depois que nascemos, a primeira coisa que aprendemos a fazer é chupar. Chupamos seios, dedos e chupetas ou qualquer outra coisa que nos colocam na boca. Porém... Chupar um pau pode se tornar uma arte. Principalmente se bem chupado, por que uma chupadinha básica, qualquer um sabe dar.
A arte de chupar um pau não é para incompetentes, é preciso ser uma exímia boqueteira e claro, um exímio boqueteiro, por que há marmanjos, sim marmanjos, que gostam de chupar um pau, se alguns não assumem a condição, isso é um outro problema. Se você é um ou uma expert, parabéns!
Para mim, fazer sexo é a melhor coisa do mundo e um boquete é a segunda melhor. Não há comparação possível, ter um pau na boca é delicioso. Aquela cabeça vermelha e quente tocando o fundo da garganta, tocando com suavidade os lábios é uma delícia. Fica bem melhor, quando o pau está bem babado, liso e escorregadio e a língua passa de cima a baixo, querendo medir milímetro por milímetro, ou ainda, os lábios mordiscando levemente da cabeça ao saco. E por falar em saco, não é delicioso encher a boca com os ovinhos e ficar brincando, lá dentro, com eles, acariciando-os com a língua.
Não há homem que resista a uma chupada eficiente. Duvida? Então vejamos...
Primeiro segure-o nas mãos, acaricie-o com o rosto, distribua beijinhos em toda a sua extensão. Entre-abra um poucos os lábios, roce na glande e lamba docemente o freio e o furinho na ponta.
Deixe ele entrar devagar em sua boca, sem ultrapassar a glande, circule-a levemente com a língua, aperte a cabeça, sem tocá-lo com os dentes e sugue-o com força.
Aproveite e deixe ele ir fundo, até senti-lo no fundo da garganta, se for possível, de um lambida na parte que inicia o saco.
Retire-o devagar da boca, arrastando a língua bem mole, pela parte debaixo.
Demore-se novamente na cabeça, esfregue-a nos lábios entre-aberto, circule-a varias vezes com a língua e sugue-a demoradamente.
Deite-o sobre a barriga dele e vá mordiscando e lambendo, da cabeça ao saco.
Beije e lamba os ovinhos, sugue de leve o escroto, sem colocá-lo para dentro da boca.
Lamba um ovo de cima para baixo, comece por um e desça apertando mais forte a língua, entre eles, depois faça o mesmo no outro. Notou? Dá para fazer várias vezes o número oito.
Despercebidamente, sugue um dos ovos para dentro da boca. Alguns homens reclamam da dor, mas vá em frente, todos eles gostam, dói um pouco, mas é delicioso. Aproveite-se e faça no outro. Se der, sua boca não é muito pequena ou ele não é muito sacudo, sugue os dois ovos para dentro da boca e massageie-os com a língua, comece de leve e aumente a força, mas não exagere.
A esta altura ele estará bem louco, suba lambendo até a cabeça.
Com os lábios bem moles, deixe entrar, até o fundo.
Faça movimentos de leve, para frente e para trás, cuidando para não tocar com os dentes. Aos poucos aumente o ritmo, não precisa ser rápido, mas deve ser constante.
Pare e de atenção a cabeça e novamente retorne ao vai-e-vem.
Tenha em mente que ele irá gozar, antes de começar decida o que fará.
Se você gosta, engula.
Se não sente segurança para engolir, brinque com o gozo, espalhe-o, lambuze-se e deixe-o de lado, logo depois, disfarçadamente.
Se não gosta de nenhuma das alternativas anteriores, seja franca(o) e antes de começar, avise ele e peça-lhe para não gozar na sua boca.
Não seja ridícula(o), deixar ele gozar e depois sair correndo para cuspir a porra no vaso sanitário, ou pior ainda vomitar. Desse jeito, não há tesão que resista!  

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Banheiro: O Quartel General Feminino

por H. Thiesen 

Existe um local muito especial para todas as mulheres, onde as idéias são realinhadas e os planos concebidos: O Banheiro Feminino!
Se tem uma coisa que é de praxe, é mulher ir ao banheiro sempre acompanhada de outra, quando está na balada, festas, bares, etc. Vale até convidar a nova namorada do irmão,  que acabamos de conhecer a dez minutos atrás, afim de estreitar relações.
Afinal, banheiro feminino é mais convidativo às
confissões, do que o próprio consultório de psicanálise e o confessionário da igreja mais próxima.
É lá que a mulherada solta o verbo e comenta o que achou da roupa da rival, da maquiagem da amiga que não as acompanhou ao banheiro, do namorado da moça ao lado que não para de olhar pra ela, etc. Fora as que aproveitam para se queixar da vida, do marido ou namorado, da cunhada e da sogra, do chefe, dos filhos, etc.
O banheiro feminino também tem uma grande parcela de responsabilidade na proliferação de doenças de pele, oculares e bucais. Afinal, o passa-passa de pó, lápis, rímel e batom de desconhecida para desconhecida é imenso. Cuide dos seus olhos, boca e pele. Herpes, conjuntivite e bactérias não estão por ai, anunciando a sua presença.
Banheiro feminino, é um território onde a maioria das mulheres se sente como se nunca pudessem ser atingidas ou descobertas. O que rola lá dentro, não sai pela porta, é segredo de estado.
Ao meu ver, a siglas WC dos banheiros femininos deveria ser mudada para QGF, já que lá é um ambiente onde as mulheres forjam e estruturam estratégias de ataque e abate aos 'inimigos', onde arquitetam as tramas da caça, onde alinham ideias sobre a ocupação territorial e onde até se aliam a desconhecidas em prol de seus planos sutís, engenhosos e até maquiavélicos, para atingir os seus objetivos!
Portanto, mais do que um simples ambiente de mera descarga fisiológica, é um ambiente de recarga e munição!
Uma lista de atividades de banheiro:
- retocar a maquiagem e é um lugar onde existe ajuda disponível para isso,
- fofocar, isso não se faz no estabelecimento, o lugar precisa ser reservado,
- falar do namorado,
- trocar experiencias,
- ouvir opiniões,
- deixar eles esperando (adoramos fazer isso!)
- namorar longe dos olhos alheios (é tem mulher que faz isso, com outra!)
- flertar com uma gata linda que ela viu entrar no banheiro (Não sabia? A tua namorada pode ser bi!),
- transar com outra gata (Também não sabia? Bi e lésbicas frequentam o mesmo banheiro),
- ajudar outra a fazer xixizinho,
- deixar eles esperando (adoramos fazer isso!)
Aconteça o que acontecer dentro do banheiro, qualquer mulher sai de lá impecável e isso requer tempo, por isso, vamos ao banheiro em dupla, trios ou quartetos, para que uma ajude a outra e evitar que aconteçam acidentes.
O banheiro, por mais feminino que seja, pode ser sujo. Fazer necessidades necessita de cuidados, segurar o vestido, para que ele não caia numa poça de água ou dentro do vaso sanitário e sempre estamos dispostas a ajudar uma as outras.
Afinal, não podemos sair de lá, com a barra da saia pingando água!
Acho que falei tudo o que acontece em um banheiro feminino. Ah, claro! Falta contar sobre o que nós falamos? Mas... Isso é segredo de estado, é coisa de meninas!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

domingo, 3 de setembro de 2017

No cu dos outros é refresco!

por H. Thiesen 

- Gostosa!
- Vai Beto, vai!
- Mexe, mexe mais!
- Hum!
- Isso, mexe assim!
- Amor!
- Quê?
- Beto... Posso te pedir uma coisa?
- Pode!
- Me dá o teu cuzinho?
- O quê?
- O teu cuzinho!
- Tá louca Michele!
- Louca por que, você come o meu!
- É diferente!
- Como assim, diferente?
- Você é mulher!
- Ah! Claro, só por isso eu posso dar o cu!
- Cacete!
- O que foi!
- Viu o que você fez?
- O que que eu fiz?
- Broxei!
- Agora a culpa é minha!
- Claro, olha o que você me pediu!
- Foi só uma idéia!
- Idéia de jerico!
- Ah, amor... Achei que você poderia gostar!
- Tá louca, nunca!
- É né, no meu cu você diz que é bom!
- E não é?
- Claro, adoro! Por isso que te perguntei!
- Por isso... o que?
- Por que é bom!
- Eu não gosto, é diferente!
- Diferente, como? Já deu alguma vez?
- Eeeeeeeeee!!! Peraí! Isso nunca!
- E como sabe que é diferente?
- Ora, eu sou homem!
- Mas tem tanto homem que dá!
- Eles são eles, eu sou eu!
- É assim, não vai ganhar mais!
- Depois de tantas vezes, você vai me negar?
- Claro, por que só eu?
- Ahahaha!!! Você é mulher oras!
- E o que tem isso?
- Não tem pênis!
- Mas eu tenho o brinquedinho!
- Tá doida, aquilo no meu cu... nunca!
- Por que?
- Olha o tamanho!
- O teu é bem maior e eu aguento!
- O meu é de carne, eu sinto prazer!
- Mas machuca também!
- Você nunca reclamou.
- Claro, sou corajosa!
- Tá me chamando de covarde?
- Frouxo!
- Frouxo não, eu sou homem!
- Claro que é, até broxou!
- Broxa não, a culpa foi tua!
- A culpa é minha, quem ficou molengão?
- Também, olha o que você inventou?
- Eu não inventei nada!
- Como não?
- Eu só queria saber o que a Paulinha sente, quando aterra o namorado dela!
- O quê, o Tonho é veado?
- Deixa de burrice! Ele só faz com ela e ela me disse que ele adora quando ela enfia o dedinho!
- Pode tirar o cavalo da chuva, comigo não!
- Frouxo!
- Pode parar! No meu cu não entra nada!
- Então, de hoje em diante no meu também não!
- Mas você gosta!!
- Você também pode gostar!
- Eu não vou gostar nunca!
- Como você vai saber se não experimentar?
- Não, não e não!
- Então é assim?
- Assim o que?
- Pau no cu dos outros é refresco!
- Amor, vamos deixar pra lá!
- Mas eu queria matar a curiosidade!
- Curiosidade? Você tem cada uma!
- Ah... Amor! Só o dedinho então!
- Tá bom, mas só uma vez!
- Mesmo?
- Só uma vez, não vai contar pra ninguém?
- Juro, prometo! Vira então!
- Virar como?
- De quatro pro meu lado!
- Não, isso não?
- Você disse que podia!
- De quatro é humilhante!
- Então fica deitado e abre bem a bunda com as mãos!
- O quê? Você tá brincando!
- Tô não!
- É ridículo!
- Ridículo? Quando sou eu, você não acha!
- Mas eu sou homem?
- E daí?
- Não posso ficar abrindo a bunda assim!
- Ah vá! Seu cagão, com medo de um dedinho!
- Olha o tamanho dessa unha? Tá loco!
- Eu ponho camisinha no dedo!
- Vê lá o que você vai fazer!
- Prometo, se doer você me avisa!
- Assim, desse jeito? Acaba logo com isso!
- Beto, tá cabeludo!
- É lógico! Enfia esse dedo logo e chega de história!
 - A gente pode depilar como da outra vez, lembra!
- Não, não, não, mil vezes... Não!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A leitora de contos eróticos

por H. Thiesen 

Ela tange os olhos
No poema sutil
Busca no espaço
Entre as linhas divagas
Fantasia e deleite
Ela quer sonhar
No verso subtil
Ela lê na malícia
E no espanto... a luxúria
Se faz em seu corpo
Ela deseja
Se afasta do pejo
Apaixonada, surpresa
Incendeia e inunda
Semeia na mente o tesão
Ela fala com o poema
Silábica, profunda
Ela arfa e geme
Hummm!
Ela pensa...
Eu quero!
Desce pelo seu corpo
A mão é descalça
Na pele
Nos seios
No ventre
A procura do bosque
E da fonte de água fervente
Um torvelinho
Sente no corpo
Logo mais
É furação
Cobiça
Ela é puro tesão
As linhas... a atiçam
As palavras... a movem
Nas rimas, na cadência de cada verso
No teor de cada frase
E no calor de cada parágrafo
Ela molha
Lateja
Estremece
O momento é poético
Uma simbiose
A poeta e ela
Pensamentos
Sentimentos
Palavras
Com a poesia
Com a proza
ou com a rima
Ela goza!

Dedico este poema a todas as meninas que me acompanham 
e me lisonjeiam com suas presenças em meu blog!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.