Exibicionismo

por Lena Lopez

Exibicionismo é um desvio no comportamento sexual, que se manifesta pelo desejo de obter satisfação através de exibição erótica do corpo ou dos os órgãos genitais a outros, a fim de causar excitação a si próprio e eventualmente ou posteriormente, atingir o orgasmo. 
A excitação tem origem direta na exposição, no ato de exibir, a totalidade do corpo ou parte dele, para uma ou mais pessoas.
Pode-se encontrar o exibicionismo de duas formas. Na forma de jogo erótico, quando os envolvidos sabem o que está ocorrendo, existindo cumplicidade para isso. A segunda forma acontece quando há uma imposição do ato, causando surpresa e chocando o assistente, este é o tipo de exibicionismo compreendido pela literatura especializada, como o verdadeiro, devido ao componente agressivo presente nessa vertente. Para se entender a dinâmica psíquica do exibicionista e de onde advém a excitação para ele, é preciso levar em consideração a surpresa, o choque e o horror, que ele provoca ao expor-se.
O exemplo clássico disso, é o famoso homem com sobretudo preto, caminhando por um lugar ermo, que ao encontrar uma mulher desavisada, abre-o e expõe os órgãos genitais pare ela.
É difícil querer classificar o exibicionismo em graus ou em níveis, como igualmente seria que nivelar outros desvios ou fantasias eróticas. Em muitos casos, o desejo de exibição é inconsciente ou decorrente de ingestão de desinibidores (álcool e drogas por exemplo) e não pode ser caracterizado como desvio de comportamento, a pratica de sexo em local público, também não pode ser classificado como tal, pois é uma prática que independe de haver observadores. 
O exibicionismo é uma manifestação sexual que não possui origem definida, cada caso tem seu histórico e razões diferentes, que culminam nesta forma de expressão da sexualidade.
Como qualquer outro desvio de conduta sexual, o exibicionismo somente se caracteriza como patológico ou como uma perversão, quando imposto a outro sem o seu consentimento ou que não sejam responsáveis (crianças, perturbados mentais, etc), os casos patológicos mais contundentes são encontrados em pessoas dos sexo masculino. Porém, o exibicionismo não é limitado por idade, sexo, raça e classe social, para ser exibicionista, basta ser humano.
Geralmente o exibicionismo está acompanhado com outras fantasias sexuais, pode ser encontrado entre swingers, pessoas que praticam o menage-a-tróis, em frequentadores de festas liberais, dogging e outros, associado à razão de que, nestas situações ele é possível, pois existe a contrapartida, ou seja, quem quer ver.
Basicamente, exibicionismo é toda a conduta na qual um indivíduo faz-se notar por imposição ou por regras de grupo, desta forma ele se confunde com práticas comuns, quando a conduta exibicionista é incentivada e valorizada, casos que se incluem bailes funks, concursos eróticos como o da camiseta molhada, festas do nu total, onde o exibicionista ganha diversos apelidos, como por exemplo, cachorra, mascarado e perua. Sentido exibicionista também há, na mulher que veste roupas ousadas para serem notadas (para que sua presença seja notada: CHEGUEI!) ou que se vistam favorecendo a exibição de partes do corpo, conforme os seus movimentos, como decotes, aberturas, comprimento, etc, pela simples razão de que, sempre haverá alguém para ver e isso lhes causa prazer (essas duas, sou eu! Confesso! rsrsrs).
Com o advento da internet, das câmeras digitais e dos celulares com múltiplas funções, o exibicionismo ganhou facilidades para se alastrar. Diferentemente das mulheres que posam nuas para revistas e que não podem ser enquadradas como tal, pois se exibem por outro motivo, financeiro principalmente, ainda que algumas declarem que sentem prazer em exibir-se, existe outro tipo de exibicionista, que podemos classificar como virtual, que sentem prazer em ver suas fotos intimas divulgadas em paginas web.
O exibicionismo na sua forma de expressão mais natural, sem causar prejuizo a quem o pratica e a quem o vê, não é uma doença, atualmente ele faz parte do dia-a-dia, seja na rua, no trabalho, na escola, na festa de aniversário, na balada, praticamente deixou de ser uma parafilia e pode ser considerado como uma tendência cultural.
Tanto que, algumas décadas atrás uma mulher com decote, hoje considerado normal, causaria espanto, de lá pra cá, os seios saíram para tomar banho de sol e não é tão exibicionista assim, apenas uma ousadia.

3 comentários :

  1. Eu gosto tanto de um decote... O meu marido gosta de mamas, e eu gosto que ele goste das minhas...e tenho de confessar que também alegro o dia a alguns dos meus colegas.
    E não é verdade que os nossos blogs também são uma forma de exibicionismo?

    Ana

    http://er0tika69.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi querida!

    Claro que a exibicionista aqui tinha que dar pitaco, né? rsrs
    Ótimo texto, realmente hoje se encontram diversos tipos de exibicionismo, além do considerado clássico, eu mesma li muitos textos especializados, de psicólogos que retratam diversas maneiras e níveis em que o exibicionismo atua no nosso consciente e subconsciente. Que nada mais é que sentir a excitação decorrente do ato de se exibir para outro ou outros. As nuances do exibicionismo são grandes mas como você mesma disse é dificil classificar em níveis.

    Miaubeijos com muito carinho =^.^=

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!