Poliamor: Monogamia, Bigamia, Poligamia

Um dos assuntos mais discutidos nos dias de hoje, mesmo que por brincadeira e num papo sem maiores pretensões numa roda de amigos, é a monogamia, bigamia ou poligamia. Não há quem nunca conversou a respeito, seja no sentido pratico ou no sentido sentimental.  Principalmente por que a natureza humana e os instintos sexuais da humanidade, levam considerações, aspectos, rótulos e conceitos, sobre como manter relações e aparências que sejam vistas pela sociedade como posturas corretas.
Até que ponto é válido e de bom termo, manter aparências, ou opor-se às próprias vontades e princípios porque a maioria ou a quase totalidade das pessoas considera errado, ou pelo menos fingem assim considerar, tal é a hipocrisia e o preconceito que se abate sobre a sociedade? Vale lembrar que o hipócrita é alguém infiel ao que prega e o preconceituoso, é um desinformado, pois adquire conceitos sem obter informação, ainda, há os conceitos religioso, capaz de colocar por terra, qualquer desejo que não se enraíza dentro dos parâmetros das doutrinas e esse não pode ser enquadrado como preconceito, quando há a informação disponível.
Cada pessoa possui a sua fórmula para ser feliz e deve buscar a felicidade de maneira incansável, mesmo que tenha que enfrentar as hipocrisias e preconceitos que encontre pelo caminho.
É histórica as tendencias bigâmicas e poligâmicas do ser humano, principalmente para o sexo masculino. Há exemplos notórios dela em quaisquer que sejam os capítulos da história da Humanidade e faz parte comprovada da gênese bíblica. Reis, sultões, chefes de clãs e homens com elevado nível social, nos deixaram as suas heranças de costumes poligâmicos.
Na atualidade e com maior presença nos Estados Unidos, tem surgido comunidades organizadas voltadas ao Poliamor, nas quais os seus integrantes recusam os princípios e a necessidade das relações amorosas monogâmicas.
O poliamor, como opção, defende a prática e a sustentabilidade de envolvimentos responsáveis em relações íntimas, profundas e eventualmente duradouras com vários parceiros simultaneamente.
Como um movimento organizado, segue regras específicas e exige a sua observância.
Polifidelidade: os indivíduos se envolvem em múltiplas relações românticas com contato sexual restrito a parceiros específicos do grupo.
Sub-relacionamentos: distinguem-se entre relações “primárias” e “secundárias”, levando-se em consideração a importância de cada uma delas.
Poligamia: os indivíduos casam com diversas pessoas, que podem ou não estarem casadas ou terem relações românticas entre elas.
Interconexões: uma pessoa pode relacionar-se diversificadamente com outras pessoas dentro do grupo.
Relações Mono/Poli: um parceiro pode ser monogâmico, mas deve permitir as relações externas ao parceiro.
Ao olhar da sociedade é uma foram conturbada de relacionamento, mas desde que se faça de maneira sincera, clara e consensual de todas as partes, a realização dos objetivos podem se concretizar e evita desconfortos e discussões desnecessárias, quando as intenções e “regras do jogo” são postas às claras.
À grosso modo, não deve ser fácil, pois misturar amor e sexo é delicado e deve ser tratado de maneira responsável, para que nenhuma das partes seja prejudicada.
No meu ponto de vista, não sou tão monogâmica e nem poligâmica, mas sou a favor da liberdade de cada um, para decidir com quem deve ou não e com quantos relacionar-se, mas creio que deve-se respeito a quem tem capacidade de amar numa forma tão ampla.

OBS: O texto acima não se refere a fantasias sexuais, swings e menage, troca de parceiros ou inclusão de uma ou mais pessoas em relacionamentos sexuais. E sim, de relações duradouras e convivência afetiva, com direitos e obrigações conjugais. Portanto, não é simplesmente a realização sexual em jogo. Realizar a fantasia de dividir o parceiro ou suprir o desejo dele num relacionamento sexual é uma coisa, admitir que o parceiro pode amar e se dedicar a outras pessoas é outra.

4 comentários :

  1. eu acho que se todos estão de comum acordo e sentem-se felizes qualquer coisa é válida. Eu vou na onda do meu marido. ele é monogâmico e não aceitaria uma terceira pessoa nem se fosse só no lado dele então me mantenho satisfeita apenas com ele mas curto mulher, se ele quisesse outras mulheres eu não iria me opor pq além de gostar delas eu tenho fantasias de ver meu homem com outra. Por ter essa cabeça, acho que se estivesse com um homem que curte swing, diferentes parceiros para ambos e tal...eu iria entrar na onda numa boa pois sentiria ele estaria de acordo.

    ResponderExcluir
  2. ...um tema pertinente, estou de acordo com a Bem Resolvida, não me importaria nada de partilhar minha esposa com uma terceira pessoa, tendo essa terceira pessoa de ser obrigatoriamente do sexo feminino, é o trio perfeito...simplesmente porque sei que ela adoraria ter sexo com outra mulher atraente e, tenho a certeza que, se sentiria super excitada ao ver-me comer outra mulher na frente dela...enquanto se masturbava perto de mim, observando cada estocada com outra, ou, enquanto era lambida e penetrada por essa mulher, e eu...em todo o caso, temos vivido na monogamia muito bem, mas caso ela queira meter outra mulher no meio, apenas para sexo, é só ela dizer...espero que ela se sinta livre para isso. Swing está fora de questão, não permitiria nunca outro homem encostar um dedo que fosse nela. Mas confesso que me excitaria bastante vê-la roçando sua boceta melada noutra boceta melada e vê-la masturbar-se enquanto eu pegava e fodia outra na frente dela...

    ResponderExcluir
  3. Bem Resolvida e Anônimo, creio que dividir o parceiro em relações sexuais é hoje em dia algo bastante comum, aceitável para pessoas como nós, e bem resolvidas, mas no caso, essa divisão é bem mais profunda, dentro das características do Poliamor, eles teriam seus direitos e obrigações, vida em comum e relação socio-afetiva com terceiros. Creio que neste ponto de vistas, as coisas e as opiniões mudam muito!
    BJOS
    Lena

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!