Carente

por Lena Lopez 

Ontem era madrugada e cheguei de mais uma viagem, depois de me desvencilhar de tudo, relatórios, panilhas e eteceteras, entrei no veículo da empresa que me levaria para casa.
Ainda no caminho, me senti sozinha. Eu sabia, meu amor não estaria me esperando. Ela e eu fazemos a mesma coisa e vivemos entre uma viagem e outra. Eu de Londres para Vancouver, ela de Londres para Nova Deli. As vezes meus destinos variam, Montreal, Quebec, as vezes esticam para Houston e até já fui para Guadalajara. É um ritmo frenético, as vezes cansa, as vezes dá vontade de desistir e voltar para casa. Hoje é um dia desses.
Olho pela janela co carro, as ruas são mórbidas.
O motorista me olha pelo retrovisor, percebe algo. Me pergunta se há algum problema, estou séria e quieta, ele estranha o meu jeito e me indaga sobre o sorriso que ele conhece:
- Sorry, where is that bright smile?
Minha voz embarga, algo dentro de mim pede por uma lágrima, não respondo, olho novamente pela janela.
Essa cidade, já estou farta dela. Os pub e as bebidas, os bares e os bêbados, as calçadas e as prostitutas latinas, as lojas de conveniência, tudo é lúbrico, depressivo.
Londres não pára, o dia e a noite é atividade constante, mas ao mesmo tempo é uma cidade vazia e fria, desconfiada e onde estrangeiros são extra-terrestres, subumanos.
Pelo menos o Fog não deu as caras e a noite não ficou tão cinzenta.
O carro para, desembarco, Jim abre o porta-malas, pego minha mala. Ele me olha, meche no quepe e se despede. Eu olho para o prédio, levanto os olhos, o apartamento está às escuras. Caminho, abro o portão, caminho por entre o jardim, o chafariz colorido, a grama úmida, o cipreste balança com a brisa. Abro a porta, o hall está iluminado, no relógio 05:38hs, o recepcionista cochilando se assusta,-.
- Hi, Walter, sorry!
- Miss Helena... I...
- No.. No... say nothing!
Entro no elevador, 8 andares em instantes. Em casa finalmente!
Um banho, a camiseta e a calcinha me esperam!
Um café brasileiro, passado no coador de pano!
Dormir, dormir, dormir e dormir!
16 horas, o relógio desperta e eu acordo. Sinto fome! Um sanduíche natural, suco de laranja, maçã!
Fome ainda. Na geladeira um pudim de leite (Lisi andou experimentando seus dotes culinários).
No grampo ao lado da porta da cozinha um bilhete:
- Volto quarta, acho que nos veremos ainda. Te amo!!!
Lisi é espanhola, mas seu português é muito correto. A saudade aperta, sinto vontade de chorar!
Me atiro na cama, sinto o cheiro dela no travesseiro, me sinto pior!
- Vou correr!
Levanto da cama, visto a minha malha preferida, preta e laranja, bem justa, meias e tenis. Amarro os cabelos na frente do espelho. Vou ao banheiro, lavo o rosto.
Emerson Avenue, Jacqueline Street, Edna Street, Brookside Street, Terrace Street, Josephine Street e finalmente Chelsea Park.
A cidade é por vezes abominável, mas os parques são divinos, paradisíaco. Velhos, crianças, brincadeiras, casais. Corro, não deixo o ritmo diminuir. Chego próximo aos estacionamentos. São 17:54hs. Carros, homens, casais. O dogging está se anunciando. Vai esquentar a noite!
- Wowwwwww!!! Beauty girl!
Alguém me diz uma graça, mantenho o ritmo e não olho.
- Hey, hey Lena! Stop!
Esssa voz eu conheço. É Jody. Parei.
- Hi... Jo!
Me atiro literalmente nos braços dele, estava precisando de um abraço. Ele me aperta, estou ofegante. Me beija, me abraça novamente, olhos nos olhos, o beijo era inevitável. Caminhamos um pouco, conversamos, afoguei as mágoas com ele. Voltamos para o meu apartamento.
Ele sentou, fui tomar um banho. A camiseta e a calcinha me esperavam na cama, vesti um short confortável, me ajeitei. Ele me esperava, sentei ao seu lado. Fizemos sexo. Ouvimos música, cerveja. Já era tarde quando ele se foi.
Sozinha novamente, mas um pouco mais conformada e exausta.
Deitei. Lembrei de Lisi, minha espanhola. Ela sabe, mas não diz nada. Para nós, basta o que sentimos uma pela outra. Cada uma de nós tem as suas aventuras e as vezes as vivemos e as realizamos juntas. Acho que é por isso que nunca brigamos, nunca sentimos ciúmes. Vivemos uma para a outra, mas cada uma com a sua vida. Vivemos juntas e ao mesmo tempo separadas. Somos amantes, mas também somos mulheres. Mas isso é uma história longa, que talvez um dia eu vou contar para vocês.

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

2 comentários :

  1. Delícia... яυgı∂σs ρσétι¢σѕ ∂α ℓєσα

    ResponderExcluir
  2. Indecente de lindo!! E muita tesão

    Quando me visita??

    sussurros

    http://anginhasexy.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!