Poema Anal



por H. Thiesen

De quatro eu me encontro
Prostrada a tua frente
Aguardando anciosa
Que no cu você entre

O cuzinho eu vou dar
Pela vez primeira
Tenho um pouco de medo
Mas sou safada arteira

A cabeça encostou
Senti o calor
A entrada forçando
Bateu um pavor

O pau foi entrando
Me deu um ardor
Maldita enterrada
Eu gritei de dor


A primeira vez
É como surra de relho
Para sentir prazer
Só mexendo no grelo

Depois fica gostoso
Fica mais moderado
O pau mexe fácil
Com o cu alargado


Entra e sai, vai e vem
É uma delícia
Dar a bunda com gosto
É a melhor das carícias

O pau saiu murcho
Eu senti o molhado
Escorrendo no rego
Ficou tudo melado

Minha vó já dizia
É com coragem e jeito
Que se dá o cuzinho
Com todo o respeito


--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!