Sexo e Tesão à beira da piscina!

por H. Thiesen 

Quem já experimentou, há de concordar comigo, não existe sabor tão delicioso quanto o do mel de buceta. Eu não demorei muito para descobrir isso, logo no início da minha vida sexual, fui apresentada a essa delícia e não a abandonei mais. Até hoje lembro o gostinho da minha primeira buceta!
Eu não tinha vinte anos ainda e dois amigos, que sabiam das minhas preferências e gostos "diferentes" convidaram-me para uma festa. Aceitei sem nenhuma cerimônia, afinal não era a primeira vez que me convidavam e as festas que íamos juntos, sempre eram legais. Porém, daquela vez eu não imaginava o que me esperava.
Era uma reunião em um sítio afastado. Havia muitas mulheres, muitas delas bonitas e outras nem tanto, estavam presentes muitos homens e alguns deles dançavam feito loucas no meio da sala, que servia de pista de dança. Zanzei pela casa dando uma olhada nas pessoas e tentando descobrir se havia algo interessante, digamos, fazendo reconhecimento de campo.
Um dos meus amigos aproximou-se, dizendo que eu atraía muitas atenções. Eu vestia um vestido preto e curto, com um belo decote e não usava sutiã, fazia um friozinho e os bicos dos meus seios ficaram perceptíveis a qualquer olhar. A festa rolava solta e para deixar claro, era de arromba, um swing como chamamos atualmente, com muita bebida, música e sexo. Pessoas nuas não faltavam, em qualquer cômodo da casa haviam pessoas transando, em pleno sexo oral ou simplesmente numa pegação mais quente. Isso também acontecia no jardim e em volta da piscina, à beira da qual, vários cartazes alertavam:

"PROIBIDO FAZER SEXO DENTRO D'AGUA. ANTES DE ENTRAR NA PISCINA TOME UMA DUCHA. A FESTA É LIBERAL, MAS HIGIENE É FUNDAMENTAL!"

Dancei, bebi, brinquei, retribuí olhares e recebi cantadas. Quase no fim da festa, já em alta madrugada, quando a maioria das pessoas já haviam ido embora, decidi cair na piscina. Despi-me e deixei minha pouca roupa e sapatos sobre uma cadeira. Meus amigos me deixaram e entraram na casa. Tomei a ducha e mergulhei na piscina, dando duas voltas completas e sentei-me à beira dela.
Em minha direção veio uma loira gostosíssima, uma das mais bonitas da festa. Loira, cabelos longos e lisos, bem mais alta que eu (o que não é muito difícil, sou baixinha), um sorriso enorme e lindo, um olhar provocante e aparentando "más" intenções. Descalçou os sapatos, sentou-se ao meu lado na borda da piscina e mexendo o pé na água, perguntou o meu nome, depois que respondi, disse-me o dela,  me deu um beijo na bochecha e ficou me olhando em silêncio no fundo dos meus olhos.
O olhar fixo me surpreendeu, para disfarçar pulei novamente na água e nadei para o outro lado da piscina. Ela despiu-se e contrariando as regras, pulou na água sem tomar a ducha, nadando ao meu encontro. Sem me dar chance para dizer algo, ela segurou a minha nuca, mostrando-me a sua segurança e me beijou, tentei resistir, mas me entreguei àquele beijo, que vinha ardente de lábios macios e carnudos, fazendo-me até perder o fôlego. Segurando-me e impedindo-me qualquer reação, ela acariciou meus seios com a outra mão e quando sentiu que eu não lhe oferecia resistência, desceu delicadamente a mão que segurava minha nuca, até o meio das minhas pernas, sussurrou no meu ouvido e ouviu um gemido de prazer, ao mesmo tempo que ganhava uma das minhas mordidas no lóbulo da sua orelha.
Eu estava morrendo de tesão por aquela mulher. Eu nunca havia transado em público e logo fiquei pensando no que fazer, se alguém saísse da casa e nos visse. E os meus amigos, o que pensariam? Ela percebeu as minhas preocupações e me beijou novamente, fazendo-me esquecer do resto de uma vez por todas.
Abracei-a pela cintura, com a ajuda da água, levantei-a o máximo que pude e me deleitei naqueles seios firmes, com marca de sol, de bicos rosados e arrepiados pela água fria. Quanto mais eu a chupava, mais ela se derretia:
- Mama... Mama linda! Vai... Chupa com vontade!
Ela colocou as mãos em meus ombros e afastou-me um pouco dela, tomou um impulso e sentou-se na beira da piscina. Abrindo as pernas, puxou-me pelos cabelos e fez-me mergulhar entre suas coxas. Foi instantâneo, não dei tréguas a minha boca e minha língua, sem nenhuma cerimônia e totalmente esquecida de onde estávamos e se alguém poderia nos assistir, deletei-me sorvendo aquela buceta deliciosa. Fui à loucura e não queria mais parar até fazê-la gozar. Apoiando-me em suas coxas, ergui-me e saí da piscina. Deitamos no piso frio e começamos um sessenta e nove. Não foi muito demorado, a excitação era tamanha, que logo gozamos, quase juntas, entre muitos gemidos e gritos estridentes.
Somente depois, que recompomos a nossa razão e voltamos ao normal, demo-nos contas que havíamos proporcionado um belo show, a uma platéia completamente eufórica pela nossa desenvoltura.
Olhamo-nos, trocamos sorrisos, dei de ombros, afinal todos que estavam por ali, provavelmente já tinham feito sexo durante à noite, sob os olhares de outros curiosos. A bem da verdade, para completar e deixar tudo perfeito, faltaram apenas os aplausos, porque creio eu, nós duas fomos extremamente competentes, pois os orgasmos, pelo menos o meu, foi devastador!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Um comentário :

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!