Enquanto Ele Dormia...

por H. Thiesen 

Alô! Oi amor! Presta atenção no que eu tenho para te contar, talvez seja um pouco constrangedor, mas mesmo assim, não me privarei de dizer. Antes de começar, saiba que estou me sentindo tímida e sem graça de ter feito a sacanagem que ontem fiz com você. Provavelmente você sabe disso, ou não? As vezes você tem um ar inocente, e é bem capaz de não ter notar a minha timidez em certos momentos. Porém gosto disso, da tua falta de atenção com o que acontece comigo! Porque sendo assim, posso comandar um pouco na cama. Não mais do que você comanda, é evidente. No entanto, hoje o teu corpo pode  mostrando sinais do que fiz ontem à noite. Eu assumo tudo e fiz sexo com você enquanto dormia. O mais engraçado disso, é que estou ficando molhada, só de lembrar dos meus abusos de ontem.
Lembra o que aconteceu, saímos para jantar e você me provocou tanto, que eu não aguentei e te levei para o banheiro do restaurante e transamos ali mesmo.  Quando chegamos em casa, deixei você na entrada do prédio e guardei o carro,subi as escadas e cheguei em meu quarto, mas você já estava dormido, talvez cansado de transar em pé no cubículo do banheiro, mas eu não tinha me saciado o suficiente e não pensei mais de uma vez.
Subi sobre você, tirei a tua camisa, descalcei teus sapatos e meias. Lentamente fui passando as mãos pelas tuas pernas, deslizando-as no jeans, desafivelei a o cinto e abri o zíper, desci a calça até teus joelhos e fiquei acariciando teu pênis ainda sob a cueca de seda. Depois, terminei de despir tuas calças e por fim a cueca, que joguei em algum canto do quarto. Você se mexeu, achei que iria acordar, mas não acordou, apenas resmungou um pouco e continuou dormindo. Passei então, a tomar mais cuidado. Àquela altura, o que meias me excitava, era a possibilidade de fazer sexo com você sem ser notada, uma fantasia de última hora.
Segurei teu pênis com as duas mãos, movimentando levemente para frente e para trás, a bem da verdade, me deliciei te masturbando e sentindo o volume aumentar e aos poucos latejar nas minhas mãos.
Ora pensei: - Ele está dormindo, mas a ferramenta está bem acordada!
Rocei os meus lábios pela glande e lambi teu pênis em toda a extensão, inclui os testículos, que fiz questão de chupá-los, um após o outro.
Eu fiquei completamente tomada pela excitação, um pouco temerosa com a possibilidade de te acordar e extremamente excitada por tê-lo a minha total disposição e não ser descoberta. Enquanto saboreava o teu pênis, eu me masturbava por cima da calcinha e ficava cada vez mais molhada. Coloquei teu pênis inteiro dentro da minha boca e brindei-o com um delicioso vai-e-vem. Foram poucos minutos, mas o suficiente para que eu tivesse o meu primeiro orgasmo.
Vendo-te complemente despido e fascinantemente tesudo, despi toda a minha roupa. Subi no teu corpo, deitando-me sobre ele e colando-o ao meu, beijei teus lábios e desci pelo pescoço, até alcançar e acariciar teu tórax, beijei e lambi com vontade os teus mamilos, tremi a língua no minúsculos biquinhos arrepiados e por fim, passei as minhas unhas no teu peito, deixando nele meus rastros avermelhados.
Sentei sobre o teu pênis completamente duro, deixei-o chegar ao fundo e pus-me a cavalgar. Cavalguei bem devagarinho, com todo cuidado para não te acordar. As sensações foram muito gostosas e o meu tesão se multiplicou. Precisei me controlar muito, pois na minha euforia quase te acordei. Continuei mexendo de mansinho e sentido o teu pênis latejante. Mexia e fazia círculos com o teu pênis inteiro dentro de mim. Meu clitóris roçava no teu púbis, o que me deixava enlouquecida, O misto de cuidado e tesão, foi a melhor coisa que me aconteceu, fiquei toda encharcada e sem me aguentar, eu logo gozei.
Que delícia é você dormindo, assim, inteiro e imóvel. Sei que você gosta que eu te chupe e foi assim que senti falta dos teus suspiros, das tuas palavras obscenas e das tuas mãos na minha cabeça, segurando-me pelos cabelos. Mas foi outra sensação, te excitar ainda que você estivesse quase inconsciente. 
Eu deveria te pedir desculpas, por não tê-lo acordado e ter te abusado o quanto eu abusei, mas pelo contrário, só consigo ficar completamente molhada, enquanto te conto tudo isso.
Então eu já tinha gozado e desci pelo o teu corpo, beijando-o por inteiro, até alcançar novamente teu pênis. Coloquei-o novamente na minha boca e senti nele o gosto do meu gozo, ele pulsava de tesão e dei à ele outro vai-evem oral, a senti-lo latejar e jorrar na minha garganta.
Você havia gozado e eu estava lambuzada com o teu gozo. Você estava dormindo, mas o teu corpo percebia as minhas sevícias. Você acha que parou por aí? É claro que não!.
Eu deitei na cama, levei teus dedos exatamente para o meu clitóris e com a minha ajuda, gozei mais uma vez.
Não sei o que você  vai me dizer, talvez você esteja furioso. Mas não me diga nada agora, deixe para quando estiver em casa. Agora preciso desligar, porque estou excitada e preciso me masturbar com urgência. 
Mas, pensando bem... Se você quiser, quando chegar em casa, deita e durma rapidamente, eu vou adorar!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

2 comentários :

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!