Muito Safada

por H. Thiesen

Lembro-me da tua boca, do teu hálito quente e de como ela arrancou-me tantos gritos.
Lembro-me da tua língua, transpondo meus lábios e entrelaçando à minha, lembro-me dela descendo pelo meu corpo, lambendo meu seios, meu ventre, explorando meu sexo, e entre as minhas pernas, buscando para ti, o gosto do mel mais profundo da minha intimidade.
Lembro-me dos meus seios sensíveis, roçando na tua barba e meus mamilos doloridos de tantas chupadas e da sensibilidades deles, ao encontrar os teus dentes ou pressionados pelos teus dedos.
Lembro-me da minha bunda ardendo, pelas tuas palmadas e minhas nádegas marcadas e doídas com as tuas mordidas.
Lembro-me das minhas marcas, nas tuas costas e peito, das vezes que sob as minhas unhas, ficaram pedaços da tua pele.
Lembro-me dos teu lábios carnudos, beijando os meus lábios, mordiscando e puxando-me os mamilos, lembro-me de todas as vezes que sugaram meu clitóris, com desejo e afinco.
Lembro-me das tuas investidas, de quando elas eram dóceis e de quando foram estocadas violentas, lembro-me como fizeram-me estremecer de prazer.
Lembro-me de como ficava molhada, com o sexo encharcado e o corpo queimando de tesão e desejo, querendo te ter e te dar tudo o que eu desejava.
Lembro-me de cada parte do teu corpo, onde eu beijei, mordi, lambi e chupei.
Lembro-me do teu membro ereto, balançando a minha frente, pedindo-me envolve-lo com a boca e dedicar-lhe carícias com a minha língua.
Lembro-me de todas as vezes que te recebi, com as pernas abertas, das vezes que te cavalguei e te fiz meu.
Lembro-me de todas as vezes que eu te dei, deitada na cama, em cima da mesa, no carpete da sala, sob o chuveiro ou imersa na água de uma banheira.
Lembro-me do teu gozo, lambuzando a minha pele, ardendo na minha garganta, lembro-me do gosto da tua seiva viscosa e dela escorrendo pelo meu queixo e pingando sobre meus seios.
Lembro-me de todos os orgasmos que você teve comigo e das vezes que gozei contigo, que eu fui à loucura, como se fosse subir às nuvens e cair em queda livre
Enfim...
Lembro-me do nosso prazer, do prazer que foi meu e do prazer que foi teu.
Mas hoje, o que posso dizer, é que isso tudo passou, chegou no fim.
Hoje meu caro, a fila andou!
Se eu te amei, eu não sei, mas sei que valeu!
Contigo eu fui mulher, fui princesa e rainha, fui bruxa e feiticeira, louca, uma doida varrida, mas não fui santa, contigo quase fui profana e dos adjetivos, o principal, é que eu fui sim...
Muito safada!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog
.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!