Entre uma e a outra!

por H. Thiesen 

Quando o fogo iniciou no meio das suas pernas e molhou a sua gruta lasciva, subiu pelo corpo e alcançou sua mente, povoando-a de pensamentos devassos, ela a agarrou de surpresa, encostou-a à parede, rasgou-lhe o vestido e arrancou-lhe a calcinha minúscula.
A outra, surpresa com aquela atitude incomum, deixou-se levar pelas carícias ousadas, pela boca e pela língua safada, que percorriam-lhe o corpo e também, incendiou-se.
Os incêndios se uniram, os seios chocaram-se e amassaram uns aos outros, as bocas trocaram salivas e as línguas travaram um duelo ardente.
Foi mágico... Carnal, concupiscente!
A mão dela passeou pelo corpo da outra, por todos os recantos e partes, então as pernas se entrelaçaram e as coxas sentiram o calor das grutas já muito encharcadas.
Renderam-se aos caprichos do desejo, roçaram os seus corpos, trocaram muitos beijos, primeiro na boca e algum tempo depois, beijaram mutuamente seus sexos. Provaram-se, devoraram-se e beberam o mel, uma no cálice da outra...
Saciaram as sedes reciprocamente.
Num gesto instintivo, enredaram as pernas e juntaram os sexo, como flores úmidas de orvalho, num jardim de prazer.
Ah! Que bela cena: Duas mulheres, duas fêmeas, um só delírio latejante!
Com os quadris uma dança, nos seios o balanço e no centro das pernas um roçado molhado de pétalas lambuzadas!
Gemidos lascivos, sussurros sem nexos, palavras incompreensíveis e gritos.
Elas se  movem, mexem e remexem, é o ritmo das fêmeas num desatinado amor.
As mão entrelaçadas, as pernas enlaçadas, os olhos nos olhos afastam das duas qualquer pudor.
O tesão, o furor, o prazer e finalmente a explosão dos vulcões, os orgasmos, juntos e mútuos!
Uma diz: Eu gozei e quase morri de prazer!
E a outra responde: Eu também, gozei como nunca!
No fechar das cortinas da cena, como epopeia final, um beijo!
Os lábios devoradores´e devorados, se sugam e se mordem!
As línguas alucinadas, se tocam e travam um novo duelo!
Quanto prazer pode haver, entre duas mulheres sedentas?
De repente uma chamada no celular, ela atende:
- Alô...
- Ah, é você... Vem para cá?
- Não, não estou só!
- Sim... ela está aqui!
- Que que tem! Ela vai gostar!
- É claro que já gozamos, como duas loucas!
A outra solta um sorriso malicioso e o brilho no olhos fica evidente.
- Ela até riu para mim, está aprovando!
- O que você vai fazer? Ora, ficar entre uma e outra!
- Ahahaha! Dá conta sim, eu sei disso!
- Vem logo, precisamos de um macho!
Ela desligou o telefone, olhou para outra, piscou um dos olhos e disse:
- Ela está vindo!
--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog
.

2 comentários :

  1. sempre insaciável em amiga? adorei!
    www.kasalenjoysp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Hummmmm delicia de texto, uma verdadeira tesão!!

    Espero por ti aqui-http://anseiosedevaneiossexuais.blogspot.pt/

    Bjos adocicados

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!