Na ponta do dedo!

por H. Thiesen 

- Lena, eu adoro brinquedinhos, tenho uma coleção! Azul, rosa, roxinhos, grandes, pequenos!- Ahahahaha! Com o fogo que você tem... Eu não me admiro!- Adoro! Tenho vários, vibros, butterfly. Eu aproveito quando estou sozinha! E você? Também tem?- Não, nenhum!- O quê? (surpresa estampada no rosto).
Essa foi uma conversa com uma amiga, alguns dias atrás. Geralmente quando o assunto é brinquedinhos de prazer e digo que não tenho nenhum em casa, as pessoas se mostram surpresas. Como a minha amiga, as pessoas me olham com a cara de surpresa e até com uma certa indagação: "- Não acredito, você uma mulher tão sensual e liberada?"
Depois surgem as perguntas:
- Por que?
- Você não gosta?
- Tem algum problema?
A verdade é que eu não tenho nada contra os brinquedinhos, penso que fazem parte das fantasias sexuais dos seres humanos, promovem a líbido, atiçam a imaginação e proporcionam ou facilitam formas de prazer variadas.
Cada pessoa tem o seu jeito, as suas preferências para atingir o prazer e sendo saudável, por que não utiliza-los.
Comigo é um pouco diferente, eles não me excitam, prefiro a natureza e o calor da pele humana, mesmo que seja a minha.
Se estou com alguém e essa pessoa propõe o uso de brinquedos, eu não me oponho e ajo com naturalidade. Creio eu que na cama, tudo é válido, desde que não ponha em risco a saúde de ambos e que eles estejam de acordo. Mesmo assim, nesta situação, não será os brinquedinhos que garantirão a minha excitação.
Sou intensa, gosto do contato de pele, do calor humano e das possibilidades que eles podem proporcionar, mesmo durante uma masturbação solitária. Meu órgão sexual é o meu corpo e não somente, o que tenho no meio das pernas, o que trago entre as nádegas ou o que se sobressai do meu peito. Por exemplo, durante uma masturbação, percebo as sensações dos meus dedos em meus mamilos, mas também, me delicio com a sensação dos meus mamilos nos meus dedos. Fico excitada quando meus dedos exploram o meu clitóris, mas me excito com os ruídos característicos das minhas partes úmidas, me excito com a lubrificação acentuada naquela hora e que está disponível aos meus dedos. Perceberam a contra-partida? Os brinquedinhos são incapazes de proporcioná-la, pois a via de excitação é apenas uma, falta neles o tato, a pele.
Já tentaram, alguma vez, durante uma masturbação, além de perceberem as sensações sobre o clitóris, prestar atenção nas sensações do tato na ponta do dedo?

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog
.

Um comentário :

  1. Eu tinha um namorado tão preguiçoso, que ele fazia questão de enfiar o borrachudo na minha pussy enquanto era mamado - desse jeito não precisava usar o látex e ainda gozava na minha boca! Eu falava:" se fosse pra transar com o vibrador, eu teria ficado em casa"! Depois que levam chifre querem espancar!!!

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!