Santinha do Pau Oco!

por H. Thiesen 

Agora vem e entra em mim, me faz delirar, me dá teu tesão e me faz gozar!
Quero ouvir depois, você dizer não imaginar que eu sou assim e, que meu rostinho de anjo, o meu jeito discreto,  é tudo propaganda enganosa!
Pode falar, não estou nem aí! Como é  mesmo que você diz? Santinha do pau-oco!
Agora vem e me faz a tua mulher, do jeito que eu gosto, sem lero-lero!
Ok, tudo bem, eu te surpreendi? Foi você que pensou que eu sou santa, mas eu sou mulher! Mulher feita, fogosa e que sabe o que quer! Dengosa por fora e sedenta por dentro!
Ah! Não fica assim! Com essa cara de pena. Não foi bom? Claro que foi! Eu vi e senti, você comeu e gostou! Por sinal... Comeu muito bem!
Tá bom, vou segurar meu risinho de orgulho!
Falando sério, me ligue amanhã, ou se preferir, liga daqui a alguns dias. Não me entenda mal, apesar da surpresa, ainda sou eu. A mesma de sempre, mas agora inteira e completa!
Agora tudo depende de ti, por mim, eu vou querer um romance. Mas se resolver terminar e acabar com tudo, preciso te fazer meu último pedido:
- Se não for pedir muito, não fale a ninguém que eu sou assim, desavergonhada e gosto do que você já sabe!
Não se preocupe, apenas decida-se. Somos adultos e pessoas maduras, o  que aconteceu já valeu, nada de culpas, você quis e eu também!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Ela é uma Deusa!

por H. Thiesen 

Hoje eu acordei pensando que estava ao teu lado, olhei para o lado e apenas vi um travesseiro solitário. Segurei-o e o trouxe para perto de mim, o perfume que ontem à noite emanava de ti, ainda se fazia presente na fronha de seda. Comecei a lembrar da nossa noite de amor, o quanto nos entregamos uma à outra e o prazer que eu senti. Tudo isso me fez lembrar de um ex-amor, alguém para qual me entreguei e que por ser parte da minha vida eu jamais esqueci, mas hoje eu apenas me lembro, pois sei que eu tenho você ao meu lado e é à você que eu dedico as minhas atenções e cuidados.
Foi tudo tão belo, ontem a noite entre nós. Nada foi capaz de nos despertar daquele sonho, nenhum barulho da rua ouvimos, nem mesmo a chuva que caiu nos tirou a atenção que dedicamos mutuamente.
Você estava linda, naquela lingerie rosa e branca em contraste com a tua pele morena, teus cabelos negros compridos e caídos aos ombros, tuas pernas torneadas e longas bem depiladas e os seios espremidos dentro do sutiã. Deitada na cama, você parecia uma Vênus, ou uma deusa pagã, quem sabe Ishtar, a deusa fenícia da sensualidade.
Ao sair do meu banho, corri os meus olhos sobre o teu corpo, te desejei como nunca. Sentei à beira da

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Não, não.. Aí vai doer!

por H. Thiesen 

Eu estava sozinha em casa, já era noite e um vento característico do outono, anunciava que a noite seria fria, no Rio Grande do Sul é assim, depois do verão, amanhece frio, com o sol a temperatura aumenta, o sol e a umidade ajudam a esquentar e abafar durante a tarde, no começo da noite começa a esfriar e a temperatura desaba dos vinte e poucos graus, para sete ou oito, se não menos, o vento ajuda a sensação térmica ficar mais baixa ainda, de modo que, nós gaúchos, podemos experimentar as sensações das quatro estações do ano, em menos de vinte e quatro horas, isso se pela manhã a névoa (cerração, como nós chamamos) não encobrir tudo ou se chover, nesse caso, o tempo vira uma verdadeira bosta. Oh, tempo loco tchê!
Retornando ao que eu estava contando, foi num desses dias de outono ou inverno, não lembro-me muito bem, mas era uma noite de...

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:

Segredos e fantasias

por H. Thiesen 

Desde muito cedo, na minha adolescência, eu sentia atração por meninas e meninos. A minha primeira vez foi com uma menina e somente mais tarde aos dezenove anos, é que fiz sexo com um garoto.
Sempre tive a cabeça aberta para sexo, mesmo que os desejos das pessoas com as quais mantenho relacionamentos, não se incluam entre as minhas fantasias, eu absorvo sem problemas e não vejo nenhum problema em realizá-las.
Eu tinha uma amiga e costumávamos transar seguidamente, na minha casa ou na dela. Ela gostava de utilizar brinquedos eróticos e numa das vezes que transamos, ela deixou na minha casa, a sua cinta com...
--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:

Secos e Molhados

por H. Thiesen

Foi para cama, fez de tudo, das preliminares ao orgasmo e então, jorrou... molhou a cama e o amado! 
Quase morreu de gozo, mas com a vergonha não sabia o que fazer! Pensou que era xixi e, que devido ao ânimo exacerbado daquele instante apaixonado e ardente, escapara sem querer!
Corou, confundiu-se, enrolou-se no lençol molhado, enfiou a cabeça no travesseiro e reprimiu o que fora, até então, o seu melhor momento de prazer!
Não sabia o que era, nem de longe imaginava que ejaculara, pois pensava que ejaculação é coisa de homem!
Depois dessa vez, num momento de amor solitário, outra a sucedeu e ela deixou-se jorrar. Percebeu pois, que gozara como nunca!
- Nossa (pensou ela), se gozar assim é tão bom, pois que meu gozo se lance de mim!
Nunca mais sentiu mais vergonha, a cada um dos espasmos, ela jorrava, tal e qual um chafariz e gozava. Gozava como uma louca!
Até hoje é assim, ela aproveita ao máximo todos os orgasmos, sejam eles, secos ou bem molhados!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:


Tetê, linda e gostosa!
Safada e Depravada
Contra a Parede!
Loucuras e Gemidos

A Primeira vez de Renato

por H. Thiesen

Ele tremia de medo e gaguejava. Os outros rapazes, à sua volta, faziam chacota e o provocavam.
Aproximei-me e observei o que estava acontecendo. Fiquei por algum tempo escutando e vendo tudo o que acontecia, respirei fundo e falei quase gritando:
- Chega!
Eu estava cursando o segundo semestre de Jornalismo, Renato era franzino, não se misturava com os outros rapazes, além disso era tímido e o CDF da turma. Vestia-se fora da mora, estava sempre lendo alguma coisa ou estudando em um canto do campus. Quieto e totalmente não sociabilizado, nunca o vi com uma menina e por isso, era chamado de veadinho pelos auto-intitulados machões e gostosões da faculdade. Atualmente as coisas são um pouco diferentes, mas naquela época, quem prestava atenção e dava bola para o bullying?
Depois que falei, os rapazes me olharam e ficaram parados com os olhos em mim. Todos eles, ou peo menos quase todos que estavam por ali, alguma vez já haviam me passado uma cantada e desejavam ter alguma coisa comigo, que fique bem claro, essa alguma coisa, era nada a mais e nada a menos do que me comer.  Passando entre eles, fui até Renato, segurei o seu queixo e o beijei na boca. Sem olhar para os outros rapazes e olhando dentro dos seus olhos falei:
- Quando vamos repetir a dose? Seu safadinho!
Fez-se um enorme silêncio em torno de nós e todos os rapazes se entre-olharam, dava para notar o sentido de cada olhar:
- Oooooh! O veadinho comeu a Lena!
Peguei na sua mão, abracei-o e saímos do meio dos rapazes. Renato me agradeceu pela coragem em ajudá-lo e pela mentira que eu havia pregado. A partir daquele dia, ficamos amigos e os babacas nunca mais se meteram com ele.
Sempre tive restrições aos garanhões de plantão e gostava de jogar com o ego deles. Uma ou outra vez fiquei com alguns, mas se existe uma coisa que um "donjuan orgulhoso" sabe fazer, é decepcionar uma mulher, se não na cama, pelo orgulho, egoísmo e falta de inteligência. Sendo assim, eu havia os riscado das minhas listas de pretensões, mas sempre jogava a minha sedução, quando achavam que estavam conseguindo, viam que nunca tinham ganhado e não estavam próximo de conseguir.
Eu sempre tive atração pelo comum, pela simplicidade. Creio que, quem busca pela aparência, contente-se com a carência. Porém, eu prefiro seduzir do que ser seduzida e ao contrário das maioria das meninas, nunca saí a caça pelas baladas, mas procurava, ainda sou assim, meus alvos no dia-a-dia, nos lugares comuns.
A amizade com Renato fluía e sempre que podíamos conversávamos muito. Conforme eu o conhecia, mais eu me encantava com ele e com o passar do tempo comecei a desejá-lo, porém guardava isso para mim, por que surgira entre nós, algo muito mais forte do que uma simples amizade da faculdade. 
Uma noite convidada por algumas amigas, fui a um barzinho da moda e como sempre não esperava encontrar alguém interessante. Foi surpresa quando o encontrei no bar. Ele nunca saia a noite e as reservava para os estudos, mas provavelmente, o forçaram a ir ou quem sabe, levaram-no amarrado. Ele não me notou e eu, sentada em um dos cantos do bar, o observava ao longe, Definitivamente, aquele não era o lugar para ele e se parecia um peixe fora da água. Alguma vezes alguém se aproximava dele, falava algo ao seu ouvido e voltava para a pista de dança sacudindo a cabeça, acho que tentando animá-lo, mas sem nenhum sucesso. Ele olhava para todos os lados, conferia o relógio várias vezes e torcia os dedos das mãos, demonstrando a sua impaciência. Para alguém que o conhecia, como eu, notaria que ele estava se sentindo ridículo e louco para ir embora.
Um rapaz se aproximou de mim, e começou a me fazer perguntas: Tudo bem? Você está sozinha? Qual o nominho? Vem sempre aqui? Uma avalanche de perguntas características e a cada pergunta, mais próximo ele ficava, até que quase colocando a sua boca sobre a minha, disse-me que queria me beijar. Eu ri alto e ele perguntou-me o motivo da risada. Respondi que era por nada, mas que o achava muito saidinho para a primeira aproximação. Ele retrucou fanado que eu era muito bonita e que desde a hora que cheguei chamara a sua atenção e que eu não merecia ficar sozinha. Virei-me de frente para ele e respondi sem lhe deixar dúvidas:
- Bem, a verdade é que não estou sozinha!
- E está com quem?
Respondi apontando o dedo para Renato:
- Com aquele alí!
Ele olhou e começou a rir, dizendo que não acreditava. Por sorte, Renato viu quando eu apontei para ele e veio em nossa direção. Quando ele se aproximou, corri em sua direção, abracei-o e disse em seu ouvido:
- Me salva!
Sem deixá-lo responder ou perguntar o "por que", cobri sua boca com meus lábios e o beijei. Ele entendeu, contornou-me com seus braços e correspondeu, creio que como retribuição pelo acontecido naquela tarde na faculdade. Porém, inconsciente eu o beijei sofregamente e o beijo alongou-se mais que o esperado, despertando o tesão adormecido que eu sentia por ele. Depois do beijo, ele me perguntou:
- O que você está fazendo por aqui?
- Me divertindo! E você?
- Foram meus primos, estão passeando na minha casa e queriam se divertir.
Todo aquele ambiente contrastava com a sua postura reservada, quase acanhada. A música tocava, as pessoas dançavam no meio da pista. Algumas bêbados, já não se importavam com o ridículo. Diante disso, perguntei-lhe:
- Vamos sair daqui?
- E meus primos? - respondeu ele.
- Não sabem voltar sozinhos?
- Sabem, é perto!
- Então? Vamos?
- Para onde?
- Para o meu apartamento!
- Seu apartamento?
- Sim, está com medo?
- Não!
- Então vamos!
Segurei sua mão, arrastando na direção da porta de saída. Passando pelas meninas, acenei para elas, as quais provavelmente, ficaram admiradas com a minha companhia.
Levei-o para o meu apartamento. Logo que entramos pela porta, atirei-me sobre o sofá e o chamei para sentar-se ao meu lado. Ele sentou-se, ficou mudo e calado por algum tempo, enquanto eu observava as suas reações.
Descalcei os sapatos, eram novos e meus pés doíam. Estiquei as pernas e dobrei os dedos várias vezes para relaxar. Depois, com a unha do meu dedo hálux direito, fiquei brincado em sua perna, subindo e descendo pela canela.
Ele suspirou fundo e se encolheu, afastando-se um pouco de mim.
-  Algum problema? - Perguntei.
- Não, nenhum?
- Está com medo?
- Só pensando...
- Pensando em quê?
- Nada importante, mas... por que você me trouxe aqui?
- Por que gosto de você!
- Gosta de mim?
- Sim, gosto, sempre gostei!
- Eu nunca imaginei?
- Nunca imaginou o que, que gosto de você?
- Não! Que eu estaria assim, com uma mulher como você!
- Não precisa imaginar, não precisa ficar aflito, deixa as coisas acontecerem!
- Acontecer o que Lena, não sei nem por onde começo!
- Começa por aqui...
Sem terminar a frase, segurei-o pela nuca e o trouxe a minha boca. Novamente beijei-o com toda a minha vontade e enquanto o beijava, abri os botões da minha blusa , deixando meus seios descobertos e subi para o seu colo, levantei a sua camiseta, fazendo-me roçar no seu peito magro e liso.
Quase sem respirar, devido a intensidade do meu beijo, ele se afastou e virou o rosto. Segurei o seu queixo e virei-o novamente para mim e seu olhar pela primeira vez passeou sobre o meu corpo. Segurei as suas mãos e coloquei-as sobre os meus seios, fazendo movimento leves e lentos, durante as carícias lhe falei:
- Pode olhar e tocar, não tenha vergonha. Eu quero!
Meus mamilos eriçaram e pedi que ele os beijasse, estufando o peito e levando-os para perto de sua boca. Ele roçou seus lábios e pedi-lhe que os sugasse, depois alternei o outro seio e disse-lhe para usar a língua. Ficamos assim por algum tempo e ele aprendeu e pegou o jeito. Sentada sobre as suas pernas, percebi que ele se excitava, sentindo o seu volume nas minhas carnes e meu corpo incendiou de desejo.Levantei-me e sai do seu colo, na sua frente despi o restante da minha roupa e logo depois pus-me a despi-lo, comecei pelos sapatos e meias, retirei a sua calça e livrei-o da camiseta, deixando-o apenas de cueca. Ajoelhei-me ao seu lado, novamente o beijei e descendo a minha, entrei por baixo da cueca, trouxe seu membro para fora e o acariciei, primeiro delicadamente e depois segurei-o com força. Abandonei a sua boca, sem deixar de masturba-lo e lancei-lhe um olhar sedutor e apaixonado. Subi novamente no seu colo e sentei sobre o seu membro, sem permitir a invasão, mas fiquei esfregando-me nele, para que Renato sentisse a minha umidade e o meu calor. Enquanto rebolava, busquei as suas mãos e coloquei-as sobre meus seios, ele entendeu o que eu desejava, acariciou-os, beijou-os e lambeu-os. Enquanto ele sugava, levei uma das suas mão para o meio das minhas pernas e ensinei-o a me masturbar deliciosamente.
Escorreguei pelas suas pernas e coloquei-me de joelho a sua frente, segurei seu membro em minhas mãos e apontei-o para a minha boca e com ela envolvi seu membro. Subindo e descendo, arranquei os seus gemidos, mas logo cessei todos os movimentos. Ele ficou totalmente rijo e começou a pulsar, mostrando-me que iria gozar. Antes de o deixar, dei alguns beijinhos e acariciei-o com a ponta da língua.
Voltei a sua boca e beijando deitei-o no sofá, passei uma das pernas sobre ele e aproximei minha vagina da sua boca, oferecendo-a para ele chupar. Ele hesitou e ficou parado. Puxei-o pelos cabelos e esfreguei-a na sua boca, implorando para ele:
- Me chupa, mete essa língua seu CDF!
Deixei ele me chupar por um bom tempo, até ficar maluca de tesão.
Afastei-me da sua boca e desci rocando a vagina no seu corpo. Segurei seu membro e coloquei-o na minha entrada e devagarinho sentei sobre ele. Comecei com movimentos leves, rebolando e remexendo, somente depois iniciei o subir e descer. Fiquei assim por alguns minutos e depois deite-me sobre Renato, para sentir seu peito nos meus seios e beijar a sua boca. Pedi-lhe para me abraçar e acariciar as minhas costas e durante o beijo, meu tesão foi às alturas. Acelerei os movimentos e beijei-o com volúpia, o ritmo alucinante fez meu coração disparar, estremecendo o meu corpo e gritei para ele:
- Agora, vem... Goza comigo!
Finalmente ele gozou e eu gozei maravilhosamente.
Desabei sobre Renato e fiquei deitada no seu peito, aguardando o tesão passar e relaxando um pouco. Ele respirava fundo, mostrando que estava cansado. Fui até a sua boca e o beijei longamente, depois olhei em seus olhos e falei:
- Viu? Eu não mordo!
- Puxa, será que é assim?
- Assim o que?
- A primeira vez das outras pessoas?
- Não sei, mas comigo é!
Eu nunca imaginaria, por mais tímido que Renato fosse, que eu seria a primeira mulher da sua vida.

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:

Safada e Depravada

por H. Thiesen

Vem...
matar a tua fome
com a carne lasciva
do meu corpo
Vem...
saciar a tua sede
com o sal que brota
da minha pele
Sou vadia,
quase louca
e depravada
Não sou puritana
tenho a vontade ardente
e o desejo incontrolável
O que importa é saciar
tuas vontades mais profanas
de me ter e de meter
de um jeito bem safado
Vem
Pois eu sou alucinada
luxuriosa e despudorada
quando te tenho na cama
ao alcance do meu prazer!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:

Rouge Chatte

por H. Thiesen

Enquanto Michele lustrava a cabeça do bem-te-vi de Beto, com os lábios rebocados de batom e a língua bem molhada, ele devorava a perereca carequinha.
Era um chupa aqui e chupa ali, beija cá e beija acolá, lambe lá e lambe cá, que os estalos ecoavam pelo quarto do motel, misturando-se ao gemidos e as respirações descompassadas e profundas. 
A xoxota bem molhada e o membro na posição de pau-durístico, recebiam as chupadas, como se os dois chupadores inveterados estivessem famintos e sedentos.
A certa altura, Beto levanta a cabeça, dá umas olhadas ao redor e passando pelo espelho mágico na parede ao pé da cama, vê a sua cara lambuzada de rouge-bocetê. Boca, bochechas, nariz e testa, tudo pintado de vermelho, feito um vampiro dos filmes de terror, depois de beber o sangue de uma mocinha distraída e totalmente apaixonada por ele. E, a Michele, só ali, sem a mínima ideia do ocorrido, continuava lustrando a cabeça do palhaço, de vez em quando liberava e com a mão direita socava uma ligeira punhetinha, quando deu-se conta, de que não estava mais sendo chupada.
Cessou de vez com o boquete e procurou tirar satisfações do Beto:
- Beto, por que parou?
- Olha aqui!
- Nossa... onde você enfiou a cara, o que aconteceu?
- Onde? Na tua buceta!
- Na minha bu... Chiiiiiiiiii! Fudeu!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:


Pela porta de trás!
Meninas lésbicas num motel!
Seios Perfeito!
Fada Safada!

Loucuras e Gemidos

por H. Thiesen 

Somos amantes impetuosas
tangidas pelo prazer
Alienadas em meio a desejos
Sonhos indecifráveis
Loucuras e fantasias
Não há entre nós o acaso
Pensamos com a carne nua
Agitada e fremente
Falamos palavras carinhosas
Outras ordinárias e indecentes
Usamos e abusamos
Quando estamos na cama
Não temos santidade
Somos pecadoras somente
De peles suadas e arranhadas
Pelas nossas unhadas e mordidas
Zoamos do bom senso
De tudo que é certo
Entre nós a cobiça e a gula
Predicados urgente
Da nossa paixão
Não somos inocentes
Somos insensatas na arte de amar
Com a alma incendiada
E um fogo extremo
Feras insaciáveis no cio
Vertemos prazer
Que escorre das virilhas molhadas
Entre os beijos, lambida e sugadas
no nossos corpos excitados
Anunciamos aos gemidos e gritos
O orgasmo intenso que nos abate
E no aconchego depois do amor
Flutuando os sentidos e cansaço
Dormimos um sono profundo
De duas feras amantes.




--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:


Pela porta de trás!
Meninas lésbicas num motel!
Seios Perfeito!
Fada Safada!

Um manjar na boca!

por H. Thiesen 

Ajoelhei-me na tua frente, pensando apenas em te dar prazer e te satisfazer de forma plena. Aproximei-me do teu corpo, pousei os lábios sobre a tua pele, beijei tua barriga e acariciei com meu rosto teu membro duro, ainda coberto com pela cueca.
Você segurou os meus cabelos e com os dedos emaranhados neles, mostrou-me o que queria e que naquele momento eu era tua.
Segurei a tua cueca e baixei-a até os pés. Beijei tuas pernas e tuas virilhas e cheirei profundamente o teu pau ereto. Segurei-o com uma das minhas mãos, senti o calor e latejar entre meus dedos. Lambi a glande rosada e lisa, provando as primeiras gotas transparentes que dele vertiam.Circulei a minha língua na pele macia e quente, coloquei na boca somente a cabeça e a chupei.
Foi delicioso te ouvi gemer e isso me despertou mais tesão ainda.
Lambi toda a extensão do seu pau, de baixo para cima, começando no saco e terminando na glande e depois disso fui te engolindo, aos poucos com toda a minha malícia.
Comecei um vagaroso vai-e-vem, minha boca indo e vindo por toda a extensão, sentindo ele cada vez mais fundo, até nota-lo tocar o fundo da garganta.
Eu te fazia carícias com movimento ritmados, não tão vagaroso, porém não muito rápidos. Tirava-o de vez em quando da minha boca molhada e passava a língua na parte de de baixo, descendo e umedecendo até suas bolas. Para elas eu dava os meus cuidados, lambia-as e chupava-as uma de cada vez.
Você mantinha-me segura pelos cabelos e tentava colocar teu pau de novo na minha boca. Não dizia nada, apenas gemia e, isso era tudo, eu te entendia.
Tuas atitudes e os teus gemidos, deixaram com muito mais tesão e eu te chupava com toda a minha vontade, enquanto me lambuzava e sentia-me escorrendo.
Com uma mão segurava teu pau na minha boca e com a outra tocava-me entre as minhas pernas, esfregava-me com muita vontade e as vezes invadia-me com os dedos.
Eu enlouqueci, com tamanho tesão, com o prazer de te ouvir gemer. Ouvi também, que tua respiração ficava ofegante e senti que segurava o meu cabelo com mais força. Eu soube então, que você estava próximo do orgasmo. Dediquei-me ao teu pau com mais com mais vontade, acelerei o ritmo da minha mão e da minha boca e aumentei a velocidade dos meus dedos no meu clitóris.
Um líquido quente jorrou e encheu minha boca, deliciei-me com o gosto do teu gozo e sorvi-o até a última gota. Gozei no mesmo instante.
Limpei os cantos dos meus lábios, levando para dentro da minha boca, o restante do líquido que escapara, eu não queria desperdiçar nenhuma gota do teu delicioso manjar.

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:


Letícia
Totalmente Gulosa
Melissa Branco
Os seios mais lindos da Internet!

Contra a parede!

por H. Thiesen 

Mal entramos em casa, deixamos a porta bater às nossas costas e ele me prensou contra a parede. 
Colando seu corpo no meu, ele me beijou ardentemente, seu pau duro roçou em minhas coxas e sensação daquele instrumento quente, me fez gemer de tesão.
Era verão e eu estava com o vestido leve, as mãos dele rapidamente o levantaram e procuraram a minha calcinha, baixando-a até o meio das pernas. Ele suspirou fundo, percebendo que eu já estava excitada, quando colocou a mão entre as minhas pernas, sentindo minha

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:

Penetra-me!

por H. Thiesen 

Penetra-me
Com teu olhar de lince
Invade meu corpo
Investiga minhas formas
Deleita as minhas curvas
Penetra-me
Com teu olhar ferino
Entra nos meus recantos
Consome as minhas linhas
Analisa os meus caminhos
E deixe a emoção
Tomar conta do teu ser
Penetra-me
Com teu olhos
Acelera teu coração
Arrepia tua pele
Saliva teus instintos
Estremeça teu corpo
Penetra-me
Com teus olhos
Desperta teu tesão
Permita-se os devaneios
Mesmo que à distância
Deixe-me ao alcance
Do teu olhar somente
Lança-te às quimeras
Aos sonhos e fantasias
Sacia os teus desejos
Na tua solidão
Jorrando teu prazer
Imaginando-me te amar
Penetra-me
Com teu olhar
Repleto de ilusão
Como queres
E como desejas
Com calma ou com fúria
Pois mesmo à distância
Seguida pelos teus olhos
Sou a única dona
Dos teus pensamentos
Penetra-me
Com teu olhar
Cheio do teu tesão!


--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - CLIQUE PARA LER:


Pela porta de trás!
Meninas lésbicas num motel!
Seios Perfeito!
Fada Safada!

De pernas bem abertas!

por H. Thiesen

Os bicos dos meus seios
apontam para cima
ferem a minha blusa
quando tolhidos por desejos
Túrgidos e duros
coroados por um rosado
esperam por teus lábios
e tua lingua molhada
Enquanto meus delírios
reclamam por teu corpo
e me deixam quase louca
de sede por tua boca
Meus orifícios secretos
queimam e umedecem
clamando pela demora
dos teus beijos e toques
Minhas vontades agravam
inflamam minhas entranhas
que febris escorrem
o mel do meu desejo
E quando chegas a mim
ao rastrear meu corpo
sou soluços e espasmos
de torrentes libidinosas
Sedenta e faminta
me entrego ao teus caprichos
e à todos os teus anseios
de pernas bem abertas!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog. Letícia

Pela porta de trás!

por H. Thiesen

Tuas mãos puxam os meus cabelos, segurando-os com um pouco de violência, de uma maneira firme, mas que não me fazia sentir dor. O calor da tua boca e a tua língua passeiam pela minha nuca, sinto arrepios por todo o corpo. Tuas mãos encontram os meus ombros e costas, seguram e não me deixam escapar.
Tua pica entre as minhas coxas, é você me encoxando por trás e apertando meus seios. Na minha pele, deixa as marcas dos teus dentes, em meus ombros teus chupões.
Estou de quatro sobre a cama e você ajeita a minha bunda na tua direção, minhas nádegas recebem algumas palmadas, mordidas e lambidas e depois de maneira dominante bolina o meu ânus com tua língua, deixando-o bem úmido e molhado.
Novamente segura-me pelos cabelos e eu sinto o calor da tua glande. Achei que me invadirias, mas deixou-se escorrer até a minha vagina, molhando-se em meu líquido abundante. A tua bolinação anterior me deixou cheia de desejos e eu te quero na minha bunda.
Levo minha mão pelo meio das minhas pernas e te encontro quente e rijo, seguro e aponto para o meu esconderijo.  Foi de uma só vez...  lancinante e inteiro deslizou dentro de mim!
Os movimentos sincronizados, me dá um prazer único, você dentro de mim, invadindo o meu rabo e eu me empurrando contra o teu corpo, ao encontro das tuas virilhas. Teus gemidos me excitam e não dispenso a minha siririca. Tuas lambidas quentes em meu ouvido, tuas boca me falando o quanto está gostoso e tuas enterradas em meu cuzinho, me levam ao delírio.
Os puxões nos meus cabelos, tuas mãos arranhando minhas costas e batendo na minha bunda, torna o nosso ato mais intenso. 
Movimentos acelerados, eu de quatro, pingando de suor e feliz por estar totalmente preenchida.
De repente eu escuto teus gritos! Entre as estocadas rápidas e fortes, ouço urros, completando o meu prazer e recebo o teu gozo farto. Também gozo na minha mão, enquanto sinto escorrer do ânus na direção da minha vagina o teu jorro, ainda quente.

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved

DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

LINKS RELACIONADOS - Clique para ler!

Mete que eu gamo!

por H. Thiesen 

Ah!
Como é bom
É delicioso dar o cuzinho
O pau grosso entrando
Atravessando as pregas
Rasgando e afundando
Como é bom dar o cu
Ah!
Sensação gostosa
É a preparação
Primeiro o dedo
Depois a linguinha
E uma cuspida
Esse é o segredo
Ah!
Que delicioso
Empinar a bundinha
Esperar de quatro
Arregaçada e aberta
Pela pica dura
Entrar pelo rabo
Ah!
Dar o cu é bom,
É muito gostoso
A cabeça entrando
Alargando o anel
Depois afundando
De forma cruel
Ah!
É maravilhoso
Dar o cuzinho
Ser preenchida
Com carne bem dura
Firme e gostosa
Entrando e saindo
Ah!
Vem meu gostoso
Vem sem demora
Comer meu cuzinho
Quente e guloso
Abre minha bunda
E mete que eu gamo!

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved

DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

A Curiosa

por H. Thiesen 

- Oi menina, como vai?
- E aí mulher! Quanto tempo! Estava passando e resolvi te ver!
- Que surpresa!
- Como vão as coisas? Namorando muito?
- Um pouco!
- Um pouco? E os homens não veem essa mulher linda aí?
- Claro que sim, mas estou namorando uma garota!
- O quê? Virou lésbica?
- Não!
- Então?
- Então o que?
- Ainda gosta de homens?
- Claro, claro!
- E namorar outra mulher é bom?
- É ótimo!
- Ela é lésbica então?
- Também não!
- Ah, entendi, corta para os dois lados também!
- Só você mesmo!
- Me fala, é melhor do que homem?
- Bem, é diferente!
- Sei! Diferente... É óbvio! Falta aquela coisinha!
- Nem tanto por isso!
- Hum, pelo que então?
- O envolvimento!
- Ah sim! Não tem pau, tem duas xoxotas!
- É por aí! Duas mulheres e feminilidade total!
- É bom mesmo? Está gostando!
- É... e estou adorando!
- Tá todo mundo falando...
- Falando o que?
- Do teu casinho!
- Tô nem aí! Ninguém paga as minhas contas!
- Esse negócio, é gostoso mesmo?
- Que negócio?
- Chupar buceta!
- Por que não experimenta?
- Não... não! Não é minha praia!
- Não sabe o que está perdendo!
- Meu negócio é pau, bem duro e grosso de preferência!
- Ué? Faz como eu? Gosto dos dois!
- Não se... Colar velcro não é comigo!
- Diz isso, por que nunca fez!
- Eu iria sentir falta de pau, entende?
- Antes eu entendia, agora não! Experimenta!
- O que um uma mulher tem, que um homem não tem?
- A língua!
- E homem não tem língua?
- Claro que tem, mas é uma questão de jeitinho e de gosto!
- Àh para... Não tem nada melhor do que chupar um pau roliço!
- Peraí!
- Ei... O que você está fazendo?
- Tá vendo isso aqui?
- Tô, é a tua xoxota!
- Então chupa!
- Ei, o que é isso amiga? Larga os meus cabelos!
- Tá louca pra experimentar e não sabe como! Chupa logo!
- Tá me entendendo mal!
- Veio aqui pra que? Você já sabia do meu caso! Cai de boca!
- E se eu não gostar?
- Duvido! Aproveita e dá uma utilidade pra essa língua frouxa! Chupa!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved

DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

A Arte do Boquete

por H. Thiesen 

Chupar um pau é algo natural, ou mais do que isto, é um reflexo, um instinto adormecido do ser humano, tanto que qualquer um de nós, depois que nascemos, a primeira coisa que aprendemos a fazer é chupar. Chupamos seios, dedos e chupetas ou qualquer outra coisa que nos colocam na boca. Porém... Chupar um pau pode se tornar uma arte. Principalmente se bem chupado, por que uma chupadinha básica, qualquer um sabe dar.
A arte de chupar um pau não é para incompetentes, é preciso ser uma exímia boqueteira e claro...

CONTINUE LENDO!
--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Oração da Mulher Safada

por H. Thiesen 

Dedinhos e língua
que nos levam ao céu,
multiplicados sejam
os nossos beijos,
venha a nós
todos os...

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved

DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

A Buceta Divinal

por H. Thiesen 

Estava Afrodite, junto a uma fonte do Olimpo a fazer os seus pentelhos, com todo o cuidado e jeito, para que não ferisse a sua crica com a lâmina que roubara de Zeus, na verdade, ela quer deixar carequinha, por um ponto final, no tal monte de Vênus, o qual àquela altura, já estava mais para montanha de Vênus e ela já não aguentava mais o cheiro e a coceira.
A sensual deusa, precisava embelezar-se e ficar lisinha, pois iria dar o cu, naquela noite para Hefesto. Eles já tinham fama de safados, todo o Olimpo sabia das putarias dos dois e que as vezes chamavam Anquises para uma bela suruba.
Ela rapou bem o seu cuzinho, aquela noite seria especial, pois geraria um grande filho da puta, que se chamaria Enéias.
A lâmina que ela pegara escondida, do deus mais cornudo do Olimpo, estava mal afiada e a cada passada, mais arrancava do que cortava os pentelhos e entre as suas idéias de orgia e putarias, cada vez que a lâmina fazia o seu serviço mal-feito, ela se virava em mil caretas e soltava efusivos

CONTINUE LENDO

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved

DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS

Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Me fode cretino!

por H. Thiesen 

Quero-te muito, meu corpo por ti clama, meu sangue ferve e eu não vivo sem a tua presença. Te pertenço por inteira, de corpo alma e mente. Por mínimo que seja o meu pensamento, se nele você esta presente, eu me acendo.
Sou discreta e falo por entre-linhas, não gosto de linguagem aberta, mas hoje faço exceção, estou em fogo, em completo tesão e não vou medir as palavras, chega de ser poética e usar as metáforas, eu te quero agora, daquele jeito despudorado, o meu jeito puta de ser!
Vem, te quero em minha boca, me invadindo com tua língua e chupando a minha, quero um beijo molhado e linguado. Me dá teu abraço, junta o meu corpo e esfrega o teu, enfia a tua coxa no meio das minhas pernas e com ela me levanta, apertando-a contra a minha boceta, por que eu rebolo, roço e enlouqueço.
Desse jeito eu flutuo, me molho e escorro.
Beija o meu pescoço, espalha a tua saliva, lambe-o com tua língua, morde os meus ombro.
Pega os meus seios, aperta-os com força, beija e morde, chupa com força os meus bicos e deixa-os duros e pontudos.
Corre as tuas mãos em minhas costas, passa na espinha para me dar calafrios e depois agarra a minha bunda, entra entre as nádegas e acaricia o meu cu, se quiser enfia um dedinho!
Quero os teus dedos explorando a minha xana, dedilhando o meu grelo. Sente a umidade e me faz latejar. Massageia de leve, circula, segura e procura, sente como ele está duro e quente.
Desce pelo meu corpo, baba a minha barriga e o umbigo, lambe o meu púbis as minhas virilhas e morde o lado interno das minhas coxas.
Afasta as minhas pernas e veja a minha boceta, abra-a com os dedos e olha lá dentro, o que está guardado pra ti.
Te atira de boca, envolve por completo, chupa e lambe, explora as dobras, aperta com os lábios. com eles puxa e estica. Te lambuza em mim!
Suga o meu grelo, aperta-o entre os lábios, circula-o e serpenteia-o com a língua. Deixa que ela me invada e bebe o meu caldo. Não dá bola, eu gozo, inundo a tua boca, mas continue e me deixa louca Se eu tentar fugir da tua boca, me segura e continua chupando, que eu grito:
- Caralho... Filha da Puta...  Me fode cretino!
Quando eu estiver cansada, suada e sem força, larga-me e para, mas vem até mim e enfia o teu pau na minha boca. Me fode entre os lábios, agarra os cabelos e enfia bem fundo, até passar da garganta. Mete tua pica sem pena e manda: - Chupa cadela... vadia... engole o meu pau! Lambe as bolas também!
É assim que eu fico em fogo e incendeio e só penso em foder com você.
Deita sobre o meu corpo, levanta as minhas pernas e me come, com força, bem fundo! Faz o teu vai-e-vem, violento e ligeiro. Fico toda molhada, escorrendo e pingando, agarrada na tua bunda, te ajudando, sentindo sair e entrar. E, sem para com os gritos: - Sacana, tesudo, bandido! Também quero no cu!
Me levanta um pouco, cospe na entrada e abre as minhas nádegas, numa só estocada, entra em meu cu. Eu me masturbo, toco siririca e meto os meus dedos.
- Fode... Fode meu cu!
Olha nos meus olhos, quero ver o suor da tua testa, os pingo caindo em meus peitos, a tua boca entre-aberto e o prazer no teu rosto.
Me enraba com gosto, quero teu gozo quente nas minhas entranhas.
Meus pés em tuas costas, te prendem enquanto você goza e lateja dentro de mim.
Não saia, eu quero mais um pouco! Só mais um pouco e eu gozo na siririca!
Aumento meu ritmo, meu corpo estremece, sinto espasmos, o coração dispara, a ar me falto e explodo em gritos:
- Cacete, porra do caralho... que gozada!
Sou tua, completamente tua, sem medo e sem culpa, terna ou puta, eu sou tua!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Sexo e Tesão à beira da piscina!

por H. Thiesen 

Quem já experimentou, há de concordar comigo, não existe sabor tão delicioso quanto o do mel de buceta. Eu não demorei muito para descobrir isso, logo no início da minha vida sexual, fui apresentada a essa delícia e não a abandonei mais. Até hoje lembro o gostinho da minha primeira buceta!
Eu não tinha vinte anos ainda e dois amigos, que sabiam das minhas preferências e gostos "diferentes" convidaram-me para uma festa. Aceitei sem nenhuma cerimônia, afinal não era a primeira vez que me convidavam e as festas que íamos juntos, sempre eram legais. Porém, daquela vez eu não imaginava o que me esperava.
Era uma reunião em um sítio afastado. Havia muitas mulheres, muitas delas bonitas e outras nem tanto, estavam presentes muitos homens e alguns deles dançavam feito loucas no meio da sala, que servia de pista de dança. Zanzei pela casa dando uma olhada nas pessoas e tentando descobrir se havia algo interessante, digamos, fazendo reconhecimento de campo.
Um dos meus amigos aproximou-se, dizendo que eu atraía muitas atenções. Eu vestia um vestido preto e curto, com um belo decote e não usava sutiã, fazia um friozinho e os bicos dos meus seios ficaram perceptíveis a qualquer olhar. A festa rolava solta e para deixar claro, era de arromba, um swing como chamamos atualmente, com muita bebida, música e sexo. Pessoas nuas não faltavam, em qualquer cômodo da casa haviam pessoas transando, em pleno sexo oral ou simplesmente numa pegação mais quente. Isso também acontecia no jardim e em volta da piscina, à beira da qual, vários cartazes alertavam:

"PROIBIDO FAZER SEXO DENTRO D'AGUA. ANTES DE ENTRAR NA PISCINA TOME UMA DUCHA. A FESTA É LIBERAL, MAS HIGIENE É FUNDAMENTAL!"

Dancei, bebi, brinquei, retribuí olhares e recebi cantadas. Quase no fim da festa, já em alta madrugada, quando a maioria das pessoas já haviam ido embora, decidi cair na piscina. Despi-me e deixei minha pouca roupa e sapatos sobre uma cadeira. Meus amigos me deixaram e entraram na casa. Tomei a ducha e mergulhei na piscina, dando duas voltas completas e sentei-me à beira dela.
Em minha direção veio uma loira gostosíssima, uma das mais bonitas da festa. Loira, cabelos longos e lisos, bem mais alta que eu (o que não é muito difícil, sou baixinha), um sorriso enorme e lindo, um olhar provocante e aparentando "más" intenções. Descalçou os sapatos, sentou-se ao meu lado na borda da piscina e mexendo o pé na água, perguntou o meu nome, depois que respondi, disse-me o dela,  me deu um beijo na bochecha e ficou me olhando em silêncio no fundo dos meus olhos.
O olhar fixo me surpreendeu, para disfarçar pulei novamente na água e nadei para o outro lado da piscina. Ela despiu-se e contrariando as regras, pulou na água sem tomar a ducha, nadando ao meu encontro. Sem me dar chance para dizer algo, ela segurou a minha nuca, mostrando-me a sua segurança e me beijou, tentei resistir, mas me entreguei àquele beijo, que vinha ardente de lábios macios e carnudos, fazendo-me até perder o fôlego. Segurando-me e impedindo-me qualquer reação, ela acariciou meus seios com a outra mão e quando sentiu que eu não lhe oferecia resistência, desceu delicadamente a mão que segurava minha nuca, até o meio das minhas pernas, sussurrou no meu ouvido e ouviu um gemido de prazer, ao mesmo tempo que ganhava uma das minhas mordidas no lóbulo da sua orelha.
Eu estava morrendo de tesão por aquela mulher. Eu nunca havia transado em público e logo fiquei pensando no que fazer, se alguém saísse da casa e nos visse. E os meus amigos, o que pensariam? Ela percebeu as minhas preocupações e me beijou novamente, fazendo-me esquecer do resto de uma vez por todas.
Abracei-a pela cintura, com a ajuda da água, levantei-a o máximo que pude e me deleitei naqueles seios firmes, com marca de sol, de bicos rosados e arrepiados pela água fria. Quanto mais eu a chupava, mais ela se derretia:
- Mama... Mama linda! Vai... Chupa com vontade!
Ela colocou as mãos em meus ombros e afastou-me um pouco dela, tomou um impulso e sentou-se na beira da piscina. Abrindo as pernas, puxou-me pelos cabelos e fez-me mergulhar entre suas coxas. Foi instantâneo, não dei tréguas a minha boca e minha língua, sem nenhuma cerimônia e totalmente esquecida de onde estávamos e se alguém poderia nos assistir, deletei-me sorvendo aquela buceta deliciosa. Fui à loucura e não queria mais parar até fazê-la gozar. Apoiando-me em suas coxas, ergui-me e saí da piscina. Deitamos no piso frio e começamos um sessenta e nove. Não foi muito demorado, a excitação era tamanha, que logo gozamos, quase juntas, entre muitos gemidos e gritos estridentes.
Somente depois, que recompomos a nossa razão e voltamos ao normal, demo-nos contas que havíamos proporcionado um belo show, a uma platéia completamente eufórica pela nossa desenvoltura.
Olhamo-nos, trocamos sorrisos, dei de ombros, afinal todos que estavam por ali, provavelmente já tinham feito sexo durante à noite, sob os olhares de outros curiosos. A bem da verdade, para completar e deixar tudo perfeito, faltaram apenas os aplausos, porque creio eu, nós duas fomos extremamente competentes, pois os orgasmos, pelo menos o meu, foi devastador!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Acordei Tarada!

por H. Thiesen 

Hoje acordei assim... Tarada! Louca para dar uma. Que nada, dar várias, em todas as posições, deitada, de quatro, de lado, em pé e se possível... Sai de baixo! Sou capaz de fazer um canguru perneta.
Amanheci assim, tesuda, melada! Pensando nas minha melhores fodas, naquelas fodas mágicas e inesquecíveis! Para falar a verdade, imaginei as melhores fodas que ainda não dei!
Andei sonhando esta noite e acordei gozando! Foi um gozo matinal imensurável!
Abri os olhos feita uma fera no cio, uma gata selvagem esperando pelo macho, com um tesão enorme, no qual os músculos das coxas se retesam com força e as pernas se encolhem, um tesão que aflorou os instintos e fez as minhas mãos procurarem o meio das pernas, esfregarem a buceta e roçarem no grelo. 
Enquanto o Sol dava as caras, meus impulsos femininos extravasavam e o meu dia iniciou cheio de tesão, me deixando na espera de um pau duro, grosso, roliço, quente, crivado de veias, com o sangue pulsando.
Acordei com uma fome enorme por um caralho, uma sede de porra e uma vontade voraz para fazer sexo
Não, definitivamente, hoje pela manhã eu não acordei, eu entrei em transe com os olhos abertos, enlouqueci. Meu corpo me sacaneou, me fez sentir todas as sensações possíveis e imagináveis... Do beijo na minha boca à uma chupada demorada no meu grelo. Da mordida em uma orelha à um belo boquete num pau. 
Pois é acordei assim, com a buceta latejando, com o grelo inchado, uma dorzinha fodida por dentro.
Definitivamente, eu acordei louca, puta! Não, puta da cara não! Puta mesmo, querendo dar!
E por falar em dar, hoje eu quero dar para você!
Acordei tarada e o tesão não passou!
Vem logo, vem comer! 

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Até a última gota!

por H. Thiesen

No meio das pétalas
úmidas e róseas,
os lábios sedentos
sorvem o néctar.
Submetida a flor
descerra os segredos.
O deleite latente e mútuo,
denuncia o prazer e os anseios.
Desvendada a sua intimidade,
desnudada do seu pudor,
a flor vê-se num clímax,
desabrocha e se abre.
Não satisfeitos
os lábios ainda famintos,
recebem ajuda da língua frenética.
Açorados e insaciáveis,
exploram, devoram
e bebem o gozo
até a última gota da flor!


--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Serviço completo e bem feito!

por H. Thiesen 
Mesmo que eu não tenha o hábito de procurar por serviços sexuais e recorrer a garotas de programas, confesso que vez ou outra acesso os blogs das meninas, sejam elas acompanhantes, massagistas ou web-stripers, isso me permitiu conhecer um pouquinho à respeito do que elas se propõem e da forma como trabalham nas diversas formas de prostituição (sinceramente, atualmente acho essa palavra fora de propósito, haja visto que existem mulheres, que não se dizem prostitutas, muito mais ousadas que elas). Entretanto, definições à parte, nota-se que tudo deve ser feito em total harmonia, por quem se propõe a vender este tipo de serviço, para satisfazer o contratante. Por outro lado, não consigo conter minha curiosidade nas garotas que anunciam na internet, levando-se em...

CONTINUE LENDO!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

Na frente do Corno

por H. Thiesen 

Ante o olhar cobiçoso do marido, que adorava ser voyeur e por consequência um corno manso, ela era comida pelo amante, cuidadosamente escolhido, um garanhão com mais de um metro e oitenta de altura, um físico privilegiado e um cacete enorme. Com as pernas imensamente abertas, ela recebia a vara, que entrava e saia com virilidade e muita insistência da sua buceta. Cada estocada, carregava demasiadamente a luxúria e...

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados

All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.

O início da nossa noite!

por H. Thiesen 

Paramos o carro no estacionamento, você me olhou e teus olhos pediam um beijo. Aproximei e ofereci a minha boca à tua. Sua boca molhada envolveu a minha e tua língua me invadiu poderosa. O beijo longo, delicioso e voluptuoso denunciava a vontade que tínhamos de nos entregarmos.
Desde que saímos do restaurante, onde saboreamos um jantar delicioso, iluminado por velas e estava me sentindo excitada e não via a hora de chegar em casa para fazer amor contigo. Com ansiedade eu esperava pela hora e ter você dentro de mim, absorver o prazer que exala do teu corpo e te dar o que eu tenho de mais íntimo.
O beijo me deixou mais excitada, pela tua respiração, notei que teu desejo também aumentara. Nós dois, unidos por bocas molhadas e línguas nervosas, parecíamos brasas incandescentes. Você segurou meus seios, apertou-os e fez desabrochar em mim um tesão incontrolável. Minhas mãos apertaram teu peito e deixaram as marcas das minhas unhas. Com destreza sua mão entrou por baixo da minha blusa e descobriu nos meus seios, os mamilos enrijecidos de tesão.
Deixei tua boca, beijei teu pescoço, abri tua camisa e desfrutei da pele do teu peito., procurei teus mamilos e os afaguei com a língua. Minha mão saiu em busca de tuas pernas e entre elas descobri teu membro teso e pulsante. Abri tuas calças e penetrei minha mão por baixo da cueca, de onde retirei teu pênis duro e imponente.
Subi pelo teu peito molhado pela minha saliva e fui ao encontro da tua boca novamente, encontrei-a seca e mergulhei minha boca sobre ela. Segurei a tua nuca e nos beijamos longamente, enquanto eu te masturbava. Tua excitação aumentava, teu membro pulsava em minha mão, mostrando que teu orgasmo estava próximo. Tomei o caminho do teu pescoço, cheguei ao teu peito, não resisti ao momento e o mordi, prossegui como estivesse descendo uma ladeira e abocanhei teu membro. Passei a minha língua por toda a extensão da tua rigidez, com ela circulei tua glande e finalmente permiti que ele entrasse profundamente em minha boca. Comecei movimento lentos e suaves, em cada um deles, sentia você tocar a minha garganta. Eu ouvia os teus gemidos e para mim eles eram um pedido para que eu te fizesse gozar. Tuas mãos seguraram minha cabeça e me empurraram contra ti, Parei, senti enjoo, ergui minha cabeça e te disse:
- Calma, assim não, deixa pra mim!
Voltei novamente ao teu pênis, antes de envolve-lo com minha boca, novamente acariciei tua glande com a língua. Olhei teu pênis ereto e quente, envolto pela minha mão e de uma só vez deixei ele entrar, tão profundo que senti teu escroto em meus lábios. Comecei os movimento e desta vez um vai-e-vem acelerado, deixando teu pênis lubrificado com minha saliva.
Um gemido alto anunciou o teu gozo, teu membro pulsou em minha boca e você derramou a seiva do teu orgasmo. Suguei jato por jato, gota por gota, sem deixar um pingo sequer sujar tua roupa. Provei do teu gosto e bebi o teu prazer completamente. Segurando os meus cabelos, você me ergueu, me levou a sua boca e me beijou novamente. Eu me senti satisfeita por te dar aquele prazer e ansiosa não via chegar a hora de ter você dentro de mim. Desembarcamos do carro, subimos pelo elevador, a nossa noite recém havia começado!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"

Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog.