A Secretária do Diretor

por H. Thiesen

Alguns anos atrás, eu era encarregada e responsável pelas equipes de comissários de voo e estava fazendo um relatório da uma viagem, ao mesmo tempo escrevia, também, um poema erótico.
Digitava no relatório os gastos, a quantidade de lanches consumida no avião, os problemas que houveram com o restante das comissárias que estavam na viagem comigo, etc. Ao mesmo tempo, surgiam idéias e digitava em um outro arquivo as estrofes e versos.
Sendo assim, no relatório:
- Foram consumidos 73 litros de refrigerantes,
- Não houve problemas com as comissárias...
E na poesia:
Esse tesão me consome
Que incendeia e me mata... blá, blá, blá!!!!
Absorta entre o relatório e o poema, passei o tempo entre o compromisso e o devaneio. Por vezes a distração me pegava e o poema fluía, muito mais do que o relatório.
Já contei aqui, outras vezes, que quando eu escrevo me excito e assim foi naquele dia fatídico.
Após terminar o relatório, levantei da mesa e fui ao banheiro. Não é necessário dizer para o que, não é mesmo?
Quando voltei, uma colega me chamou e conversamos por algum tempo.
Depois sentei novamente na mesa, anexei o arquivo e enviei por e-mail, para a secretária do diretor de logística.
Passados dois dias, a secretário me ligou, cobrando o relatório.
Respondi que já tinha enviado.
- Não Lena, você não me enviou! Não o recebi! - disse-me ela pelo telefone.
Corri a minha mesa, acessei a minha conta de e-mail e cliquei em EMAIL ENVIADOS:
- Oh Meu Deeeeeeeeeeus! Enviei o poema!
Refiz o e-mail, anexei o arquivo correto e o enviei novamente. 
Eu tinha uma pontinha de esperança e torci com todos os dedos das mãos e dos pés, para ela não ter recebido o e-mail anterior. Poderia ter ido para o Lixo Eletrônico e ela pode não ter dado conta.
Os dias passaram e nem sombra do e-mail fatídico. Respirei aliviada, meu segredo permanecia intocado.
- Puxa, logo aquela poesia e pra secretária do diretor!
Algumas semanas depois, durante o almoço, a secretária sentou-se na mesa comigo. Enquanto almoçávamos, conversamos sobre vários assuntos, até que finalmente, ela sorriu e me perguntou:
- Aquele poema, tudo aquilo é verdade?
Quase me afoguei com o gole de água, gelei e fiquei muda.
- Sem problemas Lena, eu leio todas as noites e me excita muito!
Refeita do susto, respirei fundo e respondi:
- São devaneios, sonhos e fantasias, mas tem muito de mim!
- Você também é lésbica?
- Não, mas gosto de mulheres!
- Eu sou e gostaria de viver algo como você descreveu naquele poema.
- Gostaria?
- Sim, você me fez sonhar!
- Natural, eu escrevo sonhos!
- Não quer realizá-los comigo?

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

Um comentário :

  1. AHUHAUHAUHAUHAUHAU... As vezes acontece algo parecido comigo, mas é intencional. No meu e-mail tem uma assinatura com os links para meu Blog e Tumblr erótico. Aí quando eu mando um e-mail para alguém, eu simplesmente esqueço de apagar a assinatura. Na minha imaginação, as pessoas podem clicar no link por curiosidade e me conhecer um pouquinho mais sem ter que falar isso diretamente para as pessoas. HUAHAUHUAH

    Beijos.

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!