A Criação Divina da Buceta

Depois de matar Cronos, libertar seus irmãos engolidos por ele e de uma terrível luta entre os Novos Deuses e  os Titãs, Zeus tornou-se o Senhor dos Céus, rei de todos os deuses, tomando para si, a deusa Hera como esposa.
Quando Hera com o corpo inflamado pelo desejo, consentiu-lhe a aproximação, Zeus pousou sua boca sobre o corpo divinal, levantou os cabelos e saboreou sua nuca. Deslizou pelo pescoço e deu voltas nos ombros, de uma extremidade a outra.
Notando que Hera, estremecia a cada uma das suas investidas, Zeus com maior vontade ficava por fazê-la sucumbir a seus desejos de deus macho. Mordeu sua orelha levemente e sussurrou aos ouvidos da deusa palavras obscenas. Desceu beijando-a por toda extensão das costas, acompanhando levemente com a língua, o caminho da espinha. Chegou à cintura e permaneceu por alguns momentos, subindo e descendo aquele  perigoso despenhadeiro repleto de curvas. Virou-a de frente, beijou-a no ventre e lambeu o umbigo. Resolveu subir ao encontro dos seios e encontrou-os intumescidos pela excitação, qual frutas maduras prontas para serem devoradas. Segurando-os com suas mão fortes, mordiscou-lhe os bicos com os dentes fazendo-os crescerem e escurecerem como duas amoras doces, sugou-os e circulou-os com sua língua levemente.
Zeus, encarou a deusa fixamente, com um olhar de quem desejava devora-la até a alma e retomando o caminho por onde subira, continuou descendo. Beijou-lhe as virilhas e o púbis, depois ocupou-se das coxas, beijando-as calorosamente. Encorpado de malícia, afastou as pernas, segurando os calcanhares e antes de qualquer outra coisa, acariciou a pele alva e macia. Tateando-as com os olhos fechados e imaginando o que haveria de achar pelo caminho, chegou ao lugar mais secreto daquele corpo do e divino, passou os dedos próximo onde as coxas formam um vértice, como que procurasse por um atalho na pele e pelo meio das coxas sedosas e seguindo os contornos, achou as nádegas geladas e macias. Segurando-as, deu à elas o nome de "bunda" e ergueu-a um pouco e abrindo-as um pouco,espiou por entre elas. Notou que havia um pequeno orifício. Curioso enfio nele o dedo indicador e logo ouviu as reação da deusa endedada:
- Uhuuuuuuuuuuuu!
Estupefato com a reação e surdo pelo desejo, achou que ouvira escapar da boca da deusa um "Cuuuuuuuuu", achando a palavra muito longa, resolveu batizar aquele pequeno furo simplesmente de "cu".
O deus ainda insatisfeito, puxou Hera mais para perto, querendo provar mais um pouco do gosto da sua pele e, trouxe-a ao alcance dos seus lábios divinos. Beijou novamente as virilhas,  deitou-a sobre o piso frio do Olimpo e dobrou-lhe as pernas, colocando os pés sobre seus ombros largos e fortes. Acariciou e beijou o interior das coxas, mas decepcionou-se, quando notou que tão belo corpo nada exibia entre as coxas. Estendeu a mão, pegou o seu punhal de ouro e imprimiu o fio, exatamente sobre o vértice, abrindo-lhe um desfiladeiro entre as pernas. Arqueou-se e permitiu que a língua percorresse toda a extensão do que chamou de "sexo". Saboreando aquela parte umedecida, deliciosa como uma fruta suculenta, deu-lhe o nome de "vulva". 
Divertiu-se demoradamente, entre lambidas rápidas e vagarosas e notou um ponto que se entumescia e decidiu batizá-lo com o nome de "clitóris", mas achando que a palavra era pomposa demais, que parecia-se com um broto, permitiu que o chamassem também de "grelo". Soprou-lhe a vulva úmida e no mesmo instante,devido a força do sopro ela se abriu, mostrando-lhe que o corte fora profundo, mas o interior se mostrava quente e aveludado, para a posteridade, nomeou a cavidade de "vagina".
Mais beijo e lambidas,  Zeus afastou com os dedos a carne macia e deixou que sua língua a penetrasse. Com todo o cuidado afagou o clitóris, dando-lhe leves sugadas. Com uma pequena pressão e com todo cuidado, abriu espaço para que o dedo se aninhasse. Com a língua e o dedo, Zeus se deliciava: Entrava e saía, beijava, lambia e sugava. Sentia algumas contrações a envolver seu dedo. Juntou ao dedo, um outro, dedo para também fosse acariciado pela aquela cavidade, quente e úmida, de onde vertia um liquido delicioso.
Decidiu compartilhar tão divino sabor com Hera e deu-lhe os dedos à lamber, para que ela sentisse toda a doçura que o liquido possuía. Voltou com seus lábios aos lábios da deusa e novamente invadiu-a com seus dedos. Notou que ela estremecia, que se contorcia por todo o corpo e aumentou o ritmo dos dedos. Desejando provar tão saborosa fruta, desceu novamente ao interior das coxas da deusa, deliciou-se com aquele néctar saboroso, até que ela prendeu-lhe o rosto entre as pernas, puxou com as mãos a sua cabeça, a implorou que não parasse.
Zeus, totalmente luxurioso, deu-lhe carícias devastadoras e logo ela, aos gritos e gemidos, derramou na sua boca, uma torrente divinal.
O deus achou aquilo tudo muito engraçado, para falar, achou mesmo gozado ver a deusa se contorcer e urrar daquele jeito e resolveu, como homenagem ao momento delirante, chamas aquele instante mágico de "gozada", mas também se alguém quisesse, poderia chamar de "gozo" ou "orgasmo"!
Estupefato com a criação daquelas entranhas excitantes, tinha que dar um nome à altura para aquele conjunto delicado, que se mostrava desejado e cobiçado pela linda vulva, dotada de um clitóris extremamente sensível e de uma cavidade acolhedora. Porém não conseguia encontrar um nome à contento. Pensou, pensou e repensou e veio-lhe à ideia:
- Doravante, esta minha criação, a qual cavei com meu punhal de ouro, que torna cobiçada todas as mulheres, pois é bela, úmida, cheirosa, enebriante, tentadora e apetitosa, chamar-se-á... BUCETA!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

4 comentários :

  1. A criação humana toma outro contorno.... o contorno da descoberta da coisa mais linda que D(Z)eus criou... a mulher... em toda sua essência, beleza, prazer... a criação máxima da história da humanidade.... a criação da mulher...coisa divina....!!!!
    Um texto fantástico.... criatividade, correção histórica, leitura atualizada da Mitologia Grega.
    Nota mil moça!!
    Nota mil....!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Concordo inteiramente com o querido amigo PDR:
    "... Um texto fantástico.... criatividade, correção histórica, leitura atualizada da Mitologia Grega.
    Nota mil moça!!
    Nota mil....!!!!!!!!"
    Gostei, amei e adorei e adoraria poder compartilha-lo com os leitores lá no blog www.werthereamaryasmine.blogspot.com
    Besos, moça maravilhosa!

    {W_[amar yasmine]}

    ResponderExcluir
  3. Minha amiga {W_[amar yasmine]}...
    A Lena é uma blogueira talentosa
    Em verso e prosa...
    Além de ser muito gostosa
    Ela é muito generosa....

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!