A Senhora do Amor

por H. Thiesen 

Ele abriu a enorme porta e entrou, seus olhos tiveram que se acostumar a penumbra, mas seguindo em frente, caminhou até a cortina negra e prostrou-se diante dela, como um sinal de reverência.
De olhos fechados orou à deusa, queria obter os seus favores e estava ali para prestar uma oferenda à ela.
A cortina entreabriu-se e detrás dela surgiu a sacerdotisa. Apenas um leve túnica de gaze a cobria e que deixava ver a silhueta do corpo esbelto, sob as chamas das velas.
O ar estava impregnado de incenso e o frio dentro das paredes de pedra, davam morbidez ao ambiente.
À sua frente a cortina negra limitava o olhar dos mortais, lá dentro era permitido somente a presença das escolhidas, as sacerdotisas e as virgens oferecidas e destinadas à servir a deusa.
Ela caminhou vagarosamente em sua direção, enquanto caminha despia a túnica branca, a qual deixou cair pelo caminho.
- Quer oferecer-te à Ishtar?
- Sim!
- Então dispa-se!
Ele livrou-se da espada, do elmo e do escudo, das roupas surradas e das botas pesadas, do seu corpo brotou o cheiro de soldados após as batalhas, a pele estava suja e suada.
- De joelhos! Ordenou a sacerdotisa.
- O que veio pedir à Ishtar?
- Uma esposa, virilidade e filhos!
- Então venha comigo!
Conduzindo-o pela mão, ela levou-o a beira de uma pequena cisterna e pegando um alabastro, encheu-o de água e derramou sobre ele, molhando-o da cabeça aos pés, depois esfregou-o com as mãos e novamente encheu e derramou todo o alabastro sobre ele. Então ordenou que entrasse na cisterna e mergulha-se na água límpida e fria. Depois ordenou que fosse ao altar de pedra do outro lado da sala e se deitasse sobre ele.
A sacerdotisa andou até a entrada entreaberta da cortina pesada e balançado lentamente o seu corpo, dançou para a deusa:
- Senhora do amor, Senhora da Fertilidade, faça do meu corpo o seu corpo e deixe-me amar aquele que veio aos seus pés!
Ela novamente foi até, ungiu-o com ervas aromáticas, passou óleo de cálamo por todo o seu corpo e ao sexo dedicou-se demoradamente com óleo de mirra. Enquanto ela untava, sentia o volume crescer e enrijecer em suas mãos.
Ele permanecia quieto, apenas as sua respiração tornara-se ofegante e seu corpo tremia.
A sacerdotisa subiu ao altar, colocou os pés ao lado do seu corpo, deixando-o entre eles.
- Se queres os favores da deusa, mostre à ela o seu amor e ame a sua serva!
Abaixando-se sobre ele, ofereceu a vulva à sua boca e ele começou à beija-la.  Ela excitou-se e pressionou contra a sua boca, fazendo-o sufocar e lambuzou-o com seu líquidos. Depois deslizou a vagina em seu peito e ofereceu à ele o seu ânus e ele o lambeu, enquanto ela acariciava o seu sexo duro e latejante. Deixando sobre o seu corpo, ela prostrou sua boca sobre o membro, beijou-o e lambeu por toda a extensão, até chegar aos testículos e sugá-los um à um. Voltando abocanhou a glande e deixou o varão escorrer até o fundo da sua garganta.
Sentindo que ele já se encaminhava ao momento final, sentou sobre o membro e movimentou-se lentamente sobre ele. Seus quadris pareciam de uma serpente e seus líquidos untava o membro potente. Ele gemia a cada movimento e ela aumentava o ritmo, até que ele jorrou dentro dela.
A sacerdotisa ergueu-se e expeliu todo o conteúdo que havia dentro dela num prato de cobre limpo e reluzente. Após, com a boca, sugou o que havia restado no pênis e cuspiu sobre o prato.
- Estás purificado, podes adentrar comigo o altar!
Conduzindo-o com uma das mão e levando o prato na outra, ela atravessou a cortina e levou-o ao altar principal.
Libou os pés da estátua da deusa com o sêmen e virando-se para ele falou:
- Ishtar, a Senhora do Amor aceitou seu pedido!
Sentido-se prestigiado, ele vestiu-se e retirou-se do templo.
A sacerdotisa banhou-se na cisterna, untou-se com ervas e mirra, mais tarde ela receberia um rei! Salomão viria prestar oferenda à Astarte, o outro nome da deusa, como os israelitas chamavam a divindade fenícia e filha de Baal!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

9 comentários :

  1. Lena, você me obrigou a ir ao google e digitar "Ishtar".
    O que pude ler é muito interessante. Me impressiona como você cria a atmosfera densa dos contos mitológicos.... fiquei impressionado....!!!!
    Uma das descobertas que esse conto me proporcionou foi aqui:
    http://www.teiadethea.org/?q=node/152
    Acho que a(o) s grandes contistas não só contam histórias.... elas(es)nos instigam a buscar mais e pesquisar e se inteirar do contexto da história....
    Isso você faz com absoluta maestria....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PDR, como sabes não costumo responder à comentários, mas preciso fazer esta exceção.
      Um blog, que se propõe à ter como conteúdo textos, poesias e artigos, tem o dever de ser informativo, fomentar a curiosidade das pessoas e levar à elas um pouco de conhecimento, mesmo que ele seja erótico, isso é possível fazer. Escrever sobre sacanagem é fácil, descrever trepadas, masturbações e boquetes, todo mundo sabe, mas incluir isso em uma realidade, necessita-se de pesquisa, de tempo e de dedicação.
      BJOS

      Excluir
    2. Lena.... foste certeira!!!
      Falar sobre o que você descreveu é fácil... assim como é fácil copiar posts de outros blogs.
      Agora, o processo da criação instigante, que nos obriga ( quem gosta de ler!!) a buscar o contexto, criar conexões atualizadas e contextualizadas...isso é difícil.
      Isso a amiguinha linda-deliciosa faz com absoluta maestria...!!!
      Post nota mil, característica dessa casa aqui!!!!

      Excluir
    3. Erotismo e cultura! Essa loira é demais!!

      Excluir
    4. Chocolícia,

      Esta loira é um tesão!

      Excluir
  2. Maravilhosa excitante estória!!

    Beijoos.
    Querendo visitar: AQ= Prazeres e Carinhos Sexuais

    ResponderExcluir
  3. Oh senhora sábia, passando a vagina em seu peito, e oferecendo-lhe o cuzinho para lamber!!!

    Passando para deixar uns beijinhos felinos marcadinhos em seu coração!!

    ResponderExcluir
  4. Leninha,

    Porque não sei se vais ler a minha resposta ao teu comentário, quero aqui, publicamente, agradecer a tua visita ao meu humilde espaço. É uma honra ter no meu blogue um comentário de uma das maiores, mais conhecidas e conceituadas bloggers brasileiras.

    Muito obrigado mesmo!

    Um Beijinho!

    ResponderExcluir
  5. Adoro os seus textos... Conseguem "transportar-me" para o cenário... Como se estivesse a observar! Obrigada e muitos parabéns pela excelente escrita.

    Deixo aqui o meu cantinho para uma visita sua:
    http://vontadedetii.blogspot.pt/

    Espero que goste! 😊

    Continue a deliciar-nos com as suas palavras!

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!