Anna, uma amiga muito especial!

por H. Thiesen

- Alô!
- Oi Anna, como vai?
- Lena, tenho uma surpresa para você!
- Surpresa? Adoro surpresas!
- Estou no aeroporto...
- Vai viajar, que legal, para onde?
- Londres!
- Para cá? Por que não me avisou antes?
- Eu disse que era uma surpresa!
- É claro, qual a hora do vôo?
- Daqui a pouco, estou na frente da escada do avião!
- Jesus, você resolveu fazer uma surpresa mesmo!
- Ehehehehe!!!
- Vamos ver, são 23:05h no Brasil, onze horas de voo mais ou menos, mais quatro horas de fuso,  você vai chegar em Londres, aproximadamente às 15h! Ufaaa, tenho tempo!
- Tempo para que Lena?
- Para preparar tudo, você vem para a minha casa, não é? Aqui está uma bagunça!
- Claro, vou sim! Não se preocupe com isso, eu não reparo!
Eu conhecia Anna a muito tempo, ultimamente nossa amizade estava limitada pela internet e poucos telefonemas. Sempre falávamos que ela poderia me visitar, mas nunca chegamos a pensar concretamente sobre isso. Uma visita de Anna havia se tornado um sonho e finalmente ele seria realizado.
Levantei cedo, eu queria preparar tudo para a chegada de Anna, deixei Angela ainda dormindo, vesti uma roupa básica, tomei um café e desci até a garagem, peguei o carro e fui a um supermercado. Compras rápidas, alguns gêneros que estavam faltando. Fui ao caixa, paguei e rumei novamente para casa.
- Cacete, estou atrasada, já é duas e quinze da tarde!
Sai correndo para o aeroporto...
- Epa! Qual aeroporto? Esqueci de perguntar!
O sinal ficou vermelho, parei e pensei:
- Voo do Brasil, só pode ir para o Heathrow Airport! Vou arriscar, se não, dou um jeito!
Olhei no relógio de pulso, dezesseis horas e quatro minutos, um TAM pousou, deve ser esse.
Ela estava linda, os cabelos com nuance vermelhos escuros, olhos castanhos escuros emoldurados pela maquilagem, um vestidinho básico preto e um casaquinho na mesma cor, meias de nylon pretas, caminhando sobre um sapato de salto da mesma cor. Tudo simples, mas que a deixava encantadora.
Depois dos beijos e abraços, demonstrações mútuas de carinho e amizade, rumamos para a minha casa.
Estacionei na garagem, pegamos as malas e subimos pelo elevador e entramos no meu apartamento.
- Anna, esse é o meu cantinho! Sinta-se a vontade, enquanto estiveres por aqui, é teu!
- Puxa, eu sempre imaginei como seria, mas estou encantada!
- Eu me esforço amiga! Mas vamos ao quarto, nos livrar dessas malas!
Eu havia decorado o quarto de hóspedes ao meu gosto, na verdade, é uma suíte, um pouco menor do que a minha, lençóis e fronhas em tons brancos e rosa, cortinas carne, no pequeno banheiro, todas as peças eram rosas também, toalhas, tapetes e acessórios.
- Bem, é aqui que você vai passar a semana. Se quiser relaxar e descansar da viajem, tomar um banho... Eu estarei por aí, mais tarde a Amorinha chega e ela está ansiosa para conhecê-la!
- Ah, vou ao banho, preciso relaxar e trocar de roupa para ficar mais a vontade.
Saí do quarto e deixei-a a vontade, eu tinha algumas coisas para fazer, passei o dia atrapalhada e queria ser uma anfitriã a contento. Tenho mania de perfeccionismo.
Eram mais ou menos dezoito horas, Anna não havia saído do quarto, pensei comigo:
- Está cansada e dormiu, não vou incomodá-la!
Sentei numa das poltronas da sala e liguei a televisão, naveguei com o controle remoto e não achei nada interessante, decidi-me por um musical. Arrumei um posição confortável e acebei dormindo. Não sei por quanto tempo, quando acordei, Anna estava sentada na outra poltrona. Ela não notou que eu havia acordado e permaneci algum tempo olhando para ela, admirando a garota linda, uma moreninha pequena, mas com uma beleza envolvente.
- Oi, descansou um pouco?
- Sim, tomei um banho, deitei na cama e dormi, estou bem melhor!
Eu já estava excitada, durante o tempo que fiquei a olhando, imaginei o seu corpo nu, por trás daquela camiseta branca e das calça leg que ela vestia.
Durante as conversas que tínhamos por telefone e pela internet, muitas vezes falamos sobre sexo e o desejo que sentíamos uma pela outra e eu não via a hora de realizar essas fantasias, chegara finalmente o momento.
Levantei-me da poltrona e me aproximei dela, estendi-lhe a mão e ela a segurou, eu sabia, ela me entenderia sem que eu precisasse falar. Apertei-lhe as mãos entre a minha e sentei-me no braço da poltrona. Logo, estávamos envolvidas em nosso primeiro beijo.
Acariciei o seu rosto enquanto nos beijávamos, senti as suas mãos segurarem minhas pernas e deixei as minhas alcançar os seus seios pequenos e firmes, livres de um sutiã.
- Vem comigo! Disse-lhe puxando-a pela mão.
Fomos para o meu quarto e deitamos na minha cama. Nos beijamos, nos acariciamos e aos poucos despimos uma a outra. Um jogo de bocas, línguas, peles e corpos. Fizemos amor por um longo tempo, provamos cada um dos nossos segredos, brindamos mutuamente os nossos gostos, cheiros, suores e calores. Estávamos muito envolvidas e não percebemos. Angela, a minha Amora havia chegado, entrou no quarto e de mansinho juntou a nós. Anna surpreendida assustou-se, beijei-a novamente e acalmei-a. Enquanto eu a beijava, Angela se encarregou de devorar seu corpo, beijando e provando-a por inteiro. Mais calam e já acostumada com a nova situação, Anna se entregou novamente e fizemos amor até ficarmos extasiadas e gozarmos deliciosamente.
- Acho que não é mais necessário maiores apresentações? Vocês duas já se conhecem muito bem! Angela, Anna e Anna, Angela...
Nós três caímos numa deliciosa gargalhada, logo interrompida por Anna:
- Nossa, vocês são doidas! Maravilhosas!
E Angela respondeu, no seu portuñol pomposo:
- Es sólo el inicio, hoy es terça, até domingo, tienes mucho a ver!
Durante o restante da semana, durante o dia, nós três passeamos por Londres, visitamos pontos turísticos e aproveitamos a culinária. À noite estivemos em alguns púbis, quando voltávamos para casa, terminávamos a noite, invariavelmente à trois, à la Lesbian Chic, quando nossas imaginações, davam lugar a realizações de inúmeras fantasias, com direito as muitas loucuras de três mulheres fogosas, entre velas, vendas, algemas, doces, frutas, leite condensado, chantilly e ousadias.
Anna veio a Londres pela nossa amizade, mas queria conhecer a cidade, a noite londrina e principalmente o lado sensual da cidade. Eu havia reservado uma surpresa para ela, faríamos uma visita a um lugar secreto ou pelo menos um dos mais sexies da cidade e finalmente o fim-de-semana havia chegado.
O Killing Kittens (pode-se traduzir por Matando Gatinhos), é um lugar especial voltado ao sexo e prazer feminino. É um clube de sexo, onde o controle é exercido pelas mulheres. Os frequentadores masculinos devem ser corajosos o suficiente para se entregar e deixar de lado o impulso dominador do macho, pois não podem tomar a iniciativa e nem abordar as mulheres, somente elas podem escolher e decidir o que vai acontecer e podem dar as cartas, fazer as regras ou as quebrarem, e com uma vantagem, todos os frequentadores são cadastrados, pois para participar devem ser sócios do clube ou convidado por um deles. Um lugar perfeito para colocar em prática as fantasias sexuais mais sórdidas de Anna.
Era sexta-feira, chegamos no clube logo depois da maia-noite, entramos e sentamos à mesa que eu havia reservados, os shows já haviam começado. Na frente do palco, algumas mulheres gritavam, assistindo um striper masculino. A pouca iluminação dava um toque extremamente sensual ao ambiente, variando a tonalidade de luzes vermelhas, azuis, amarela e negras. Alguns minutos depois, no palco central inicio um show de sexo explícito. Uma mulher vestida com um catsuit em látex vermelho sangue, com aberturas livrando os seios, o púbis e as nádegas, segurava um chicote, dominava um homem e fazia sexo com ele, segundo as suas vontades. Pedi cerveja, bebemos um pouco para relaxar. Expliquei para Anna como era realmente o lugar e apontei-lhe um homem, o qual eu conhecia e com certeza, seria perfeito para a noite que eu havia planejado, disse-lhe que fosse ao seu encontro e o trouxesse para junto de nós.
Uma das fantasias de Anna era fazer sexo com outras pessoas olhando, me aproximei dela e a beijei, depois falei em seu ouvido para que excitasse Patrick e que não sentisse vergonha, poderia fazer o que quisesse, ninguém a aborreceria, apenas observariam. Ela se aproximou dele, abriu suas calça e retirou seu membro para fora, masturbou-o durante algum tempo e somente depois teve coragem para fazer-lhe um sexo oral. Eles estavam em um sofá, entre eu e Angela, numa posição estratégica, para não serem incomodados por mãos indiscretas. Nós duas cooperamos para quebrar um pouco o gelo e demo-lhes algumas de nossas carícias. Ajudei Anna a livrar-se da calça e sentar-se sobre Patrick. Ela levantou a blusa e ofereceu seus seios a ele. Patrick segurava suas nádegas, ajudando-a a sustentar-se. Angela de joelhos no sofá a beijava e afagava suas costas. Permaneceram assim por longos minutos e ela gozou deliciosamente sobre eles, enquanto éramos observadas por diversas pessoas.
Anna recompôs suas roupas, convide-os para procurarmos uma suite e realizar outra fantasia daquela menina.
Entramos os quatro na pequena suite privada, Anna fantasiava fazer sexo e ser dominada por pessoas mais experientes que ela. Patrick tinha quarenta e poucos anos, eu trinta e cinco, Anna e Angela são mais ou menos da mesma idade, vinte e poucos anos.
Empurrei Patrick e joguei-o na cama, disse-lhe para esperar. Segurei Anna pela cintura e a beijei, enquanto despia suas roupas. Angela juntou-se a nós e abraçou-a pelas costas. Passamos a nos excitar mutuamente e trocamos deliciosos beijos. Nossos corpos nus, roçaram por longos minutos. Nossos seios se acariciavam e nossas mãos não conheceram limites.
A cama King Size facilitou a presença de quatro pessoas. Sobre ela nós três dávamos prazer uma as outras e Patrick sabia que somente poderia participar se fosse chamado. Fiquei muito excitada por saber que ele nos observava e logo tive um orgasmo, deixei-as e me aproximei de Patrick. Beijei e o masturbei.
Segurei os cabelos de Anna e puxei-a para perto de nós. Deitei ao lado dele e disse-lhe que se encarrega-se dela. Ele deitou-se sobre Anna, a beijou e passou a explorar o seu corpo com a boca. Ela segurava a minha mãos e a apertava, era o sinal do prazer que ela sentia. Angela apenas olhava e se masturbava ao meu lado. Assumi a posição de dominadora mais uma vez, puxei Patrick pelos cabelos, trouxe-o a minha frente e ordenei-lhe:
- Agora ela é tua, faça-a gozar como nunca!
Deixei-os e fui para perto de Angela, nós duas fizemos amor, ouvindo os gemidos e gritos de Anna quando gozou freneticamente.
Já era madrugada, logo o sol iria despontar, fomos para casa, ainda viria o sábado e outras surpresas estavam reservadas para Anna. Mas, isso é uma outra história, que deve ser contada à parte!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

Um comentário :

  1. Aaaaaiiiiiiii.... delícia voltar aqui e te ler!!!!
    Saudades da amiga que sumiu!!!!!!!!!
    Mas sei que eu deixei de postar (depois te conto.... é muita coisa que o governo exige do pequeno empresário.... !!!)

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!