Numa rua escura qualquer!

por H. Thiesen 

Quando ele as viu passar pela rua não se conteve. Seus olhos brilharam frente a belezas daquelas duas fêmeas esculturais. À pouco anoitecera e ele tinha que arranjar um jeito para aproximar-se delas. Seguiu-as de perto, apenas alguns passos atrás, tão próximo que podia ouvir a conversa:
- Tem certeza?
- Sim... Vai ser muito fácil!
Elas dobraram a esquina sem olhar para trás e ele continuava atrás.
- Você prefere... em cima ou embaixo?
- Hummm... Dessa vez fico com a parte de baixo!
O que elas conversavam, pensava ele, enquanto as seguia e tentava se aproximar um pouco mais e fazia planos para abordá-las e chamar atenção. Apesar da rua quase deserta, elas mostravam-se indiferentes a sua presença.
- Gostosas! - Disse ele.
De repente, elas apressaram o passo e dobraram uma outra esquina.
Uma rua totalmente deserta e bem mais escura. Elas na frente e ele atrás. Ouvia-se apenas o barulho dos saltos, os quais de uma vez silenciaram e as duas mulheres voltaram-se para ele, que surpreso com a atitude, não esboçou reação. Elas se aproximaram e o encostaram a uma parede.
- Seguindo mulheres? - Perguntou uma delas.
- Ãh... Nã... não!
- Claro que estava nos seguindo! - Disse a outra.
Uma delas segurou-o pelo rosto e o beijou, a outra agachou-se e abaixou suas calças. Enquanto uma beijava, a outra chupava. Ele entregou-se de corpo e de alma àquele momento, furtivo e muito intenso.
Tolice, mal ele sabia o que estava por vir. Do beijo ardente ela rumou ao pescoço, lambeu e beijou. A outra engolia seu membro como se estivesse faminta.
Elas rasgaram suas roupas, beijaram seu corpo e o deixaram louco. O êxtase o cegava e não viu os caninos pontiagudos. Dois deles em seu pescoço e outros dois no seu membro rígido e quente. 
Quando notou, já estava ferido, sem forças e sem sangue no corpo. Caiu no chão ao pé da parede esperando por uma ajuda.
Elas limparam a boca, uma delas com um lenço branco que retirou de dentro da bolsa. A outra limpou-se no seu próprio ante-braço e lambeu, todo o resto de sangue, com os dedos, limpou os cantos da boca.
- Não te falei que era fácil!
- Vamos... Vamos achar outro. Ainda tenho sede e fome!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

3 comentários :

  1. Moral da história: Vá-se lá confiar numa ou mais mulheres bonitas. Os homens nunca aprendem, ihhihihih
    .
    Deixo um carinho de vampira

    Sábado feliz

    ResponderExcluir
  2. Kerida Filhot@!

    Vc é terrivel, alias essa dupla Insaciável!

    Bjooooooo

    ResponderExcluir
  3. Essas duas vampiras eu comia todinha... nem me importava de morrer!!!!

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!