Tua puta, sou puro tesão!

por H. Thiesen 

Marcamos um encontro, depois da meia-noite. As chaves? Pra quê? Deixou a porta entre-aberta?
Eu entro!
Te encontro deitado, o mastro erguido, pingando e pulsando, deito ao teu lado, beijo teu rosto e pego o pau nas mãos, soco uma punheta de leve, bem devagar!
- Atrevida!
- Eu? Não! Insinuante, com muito desejo, com muito tesão!
Ergo-me ao lado da cama, dispo-me, jogo a roupa no chão, fico nua e você me come com os olhos.
O mastro apontando para o céu. Gotejante…
- Curioso! Tarado!
- Como ficar sem te olhar?
- Não olha... come de uma vez!
- Assim? Direto?
- Está duro e melado? Socou uma?
- Ah, safada! Claro que sim! Não resisti!
De quatro sobre a cama, estendo o braço, seguro o pau e aperto com força, espremo a glande entre os dedos. Curvo-me um pouco, beijo o peito e mordo um mamilo. Olho nos olhos:
- Cretino, eu queria tudo pra mim!
- Calma, ainda tenho muito para você!
- Ah é? Então vamos ver!
Estou excitada, toda molhada. Monto em teu corpo e sento na vara, cavalgo, não deixo que escape, com força, pra cima e pra baixo. Alucinante, somente tesão!
As unhas em teu peito e elas te marcam, deixo meu rastro. Olhos nos olhos, as bocas secas e o suor escorrendo.
- Gostosa! Vai me enlouquecer!
- É teu castigo! Por não ter me esperado!
Paixão louca, desejo ardente, sem limites e fronteiras, impetuoso, nervoso, latente.
Tuas mãos em meus seios, apertando, espremendo, minha mão na tua nuca, te trago mais perto e te deixo entre eles:
- Morde, chupa, me lambe!
- Fode... É tudo contigo safada!
- Cala a boca... Chupa meus bicos!
Sexos em atritos, mel escorrendo, meu grelo no teu púbis, batendo, roçando, esfregando e ardendo!
- Agarra na bunda, me ajuda!
Um tapa...
-  Caralho, doeu! De novo! Bate!
Outro mais forte!
- Gosta?
- Você sabe que sim! Mas não abusa!
- Cadelinha!
- Ajuda, na minha bunda, ajuda!
Mais pressa, ruídos de sexo, sons desconexos, murmuro, sussurros.
Saindo e entrando, palavras sem nexo. Provoco!
Deito-me no teu peito, esfrego meus seios na tua pele e te deixo mexer!
- É contigo! Fode... Fode essa buceta cachorro!
- Assim?
- Mais rápido!
- Vou gozar...
Um tapinha na cara, seguro teu maxilar e aperto teu queixo:
- Cachorro! Não goza... Me espera!
- Não aguento mais!
- Deixa comigo então!
Eu estou no comando, ergo-me, sento de novo no pau, controlo... Mais rápido, mais lento, enterro bem fundo. Paro e trago à entrada e aperto a cabeça com a vagina.
- Caralho! Sua ordinária!
Mexo, remexo, rebolo, o compasso e o ritmo é meu. Indo e voltando do jeito que eu quero.
Eu gemo, me contorço, você urra e grita.
Não aguento mais, desmancho e gozo com o teu grito!
Você ergue os quadris, enterra, pulsa lá dentro e jorra!
Desabo, jogo-mesobre teu corpo, suada e esgotada. Te beijo, o gosto de sal, o cheiro de gozo, o perfume de sexo!
- Sua putinha! É puro prazer com você!
- Sou a tua putinha e você... o meu tesão!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

3 comentários :

  1. A verdade é que durante uma sessão de sexo quando as palavras se soltam e os vocábulos se assemelham aos que aqui são reproduzidas a excitação e tesão é muito maior e o sexo mais pujante e atractivo. Amei seu blogue.

    ResponderExcluir
  2. a maravilhosa arte de foder intensamente

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!