Se eu quiser... Você me come?

H. Thiesen 

Sempre gostei de me vestir bem e com roupas que valorizam o corpo. Não me preocupo muito com a moda, geralmente faço a minha e prefiro escolher roupas que, apesar da discrição, deixam as curvas em evidência. 
Uma das minhas roupas preferida, são os corsets, além de deixarem a cintura menor acaba, eles ressaltam outros atributos, os seios por exemplo, aparentam maiores e alguns são capazes de sumir com qualquer sinal de barriguinha. Geralmente não os compro, mas mando fazer nas minhas medidas. 
Prevendo que eu deveria ir a uma feira de empresas aéreas, para duas semanas após e como todos os eventos desse tipo, sempre há muitas recepções, liguei para o costureiro. Ele foi muito atencioso, perdeu algum tempo no telefone me perguntando como eu queria o corset e marcamos um dia para a prova, no seu atelier depois do meu trabalho.
Na semana seguinte, fui ao atelier para a prova e como sempre, ele me proporcionou atendimento Vip, com direito a champanha.
Provei o corset, como sempre o caimento estava perfeito e como eu não tinha mais compromissos, decidi ver outros dos seus trabalhos. Enquanto olhava aquela quantidade enorme de corset, fotos e tecidos, conversávamos muito e acabei relaxando e exagerando na bebida. Tanto enrosquei o salto e caí agarrada à ele, sobre o piso de carpete. Até então, eu pensava que ele era homossexual e aquele jeito carinhoso era característica e pensava eu, normalmente deveria tratar todas as outras mulheres daquele jeito. Mas quando eu estava no chão, tentando me levantar, ele me beijou e jogou seu corpo sobre o meu e percebi que havia algo duro, dentro de suas calças e não era o metro ou coisa do gênero. Eu já estava mais pra lá do que pra lá, devido a champanha, correspondi ao beijo.
Confesso que naquela hora eu já estava excitada, quando bebo fico assim e  sem cerimônia, comecei a acariciá-lo por cima das calças. Ele me beijou com mais ardência, segurou meus seios e abriu botão por botão a minha blusa, deixando meus seios ao seu dispor, pois eu não usava sutiã. Sugou-os com tamanha volúpia que eu quase me derreti, levantei despi o resto da roupa e fiquei de pé a sua frente. Acariciando o interior das minhas coxas, ele abriu-as com delicadeza, afastando meus pés e me fez um sexo oral inesquecível. Naquele dia vi que há prazeres bem maiores do que seios salientes e uma cintura fina. Depois de ter um orgasmo deliciosos, com aquele oral divino, deitei-o no carpete e cavalguei-o sem dar-lhe tréguas, até atingir outro orgasmo devastador e vê-lo derramar-se, jorrando abundantemente o gozo sobre a sua barriga.
Depois disso, caí exausta sobre o seu corpo e nos beijamos deliciosamente, por alguns minutos, quando lhe perguntei:
- Eu achava que você era biba?
- Bem, agora sabe que não!
- Então por que finge?
- Você sabe quantas mulheres passam por aqui, quantas eu toco e as vejo nuas? Imagine se, se excitarem e desejarem transar comigo?
- Confesso, você é um pedaço de mau-caminho. Mas a tua teoria é falha, eu já saí daqui excitada, justamente por causa do teu jeitinho delicado.
- Mas, geralmente funciona. Algumas tentam me curar, são prepotentes e essas eu traço! Ehehehe!
- Safado, por que nunca tentou comigo?
- Bem, aqui é meu trabalho e você nunca se insinuou!
- Quer dizer que: Se eu quisesse, já teria me comido?
- Claro! Mas, as mulheres não são meus problemas maiores!
- Que problemas maiores?
- Os maridos!
- Maridos?
- Sim, eles trazem as mulheres e me veem tocá-las para tirar as medidas, apalpá-las, olhá-las, etc. Mas esse meu jeitinho delicado, dá segurança para eles! Ahahahaha!!!
- Você é um enorme cretino!
- Sou?
- Com certeza!
- Pode ser, mas você não imagina quantas eu já comi!
- Não mais do que eu!
- Ah, você é hors concours!
Depois desse dia, ele fez mais alguns corsets para mim, mas mudei de cidade e nunca mais o vi!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

6 comentários :

  1. EU acho que vou dar uma de bicha aqui na empresa..... tantas mães e avós....
    Mas a "tal" fica aqui de olho quando entra alguém....
    Olha... eu também faço um oral inesquecível....!!!!

    ResponderExcluir
  2. Hummm deliciosos os seus textos....
    Em eles até consigo..viajar ...em vc...
    Espero por vc lá no meu blog
    Beijos-te

    ResponderExcluir
  3. Existem tantos casos assim. Um homem fazer-se de bicha e depois não o é mais quando as coisas surgem. É um bom disfarce embora perigoso para a reputação. É que as pessoas falam, falam, falam. Isso não interessa nada? Será que não?
    .
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. nossa que vontade de comer

    www.fodadasnovinhas.com.br

    ResponderExcluir
  5. Atendimento vip com champanhe...rica, né amores!
    Miga, sua louca! Ele aproveitou do seu estado-alterado-da-mente! Por que cê num deu-lhe um tapa na cara e exclamou:"não seja ousado"!

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!