O Primeiro Boquete é Inesquecível

por H. Thiesen 

Ela era o tipo de garota que fazia e tudo era possível na sua imaginação, mas na sua aparência cotidiana, era uma santa, ninguém imagina o que poderia se passar dentro daquela cabeça. Apesar dos seus vinte e um anos, ainda era virgem.
Vivia rodeada das amigas e com elas deixava fluir as suas fantasias. Horas e horas eram gastas entre elas e falavam sobre todo o tipo de sacanagem, porém nenhuma sentia coragem de fazer realmente o que planejavam.
Um dia ela conheceu alguém, que lhe contou muitas coisas e lhe ensinou outras muitas. Quando ele falava seu corpo tremia e incendiava. Porém um terror imenso afrouxou suas pernas, quando ele a segurou com força e a pressionou contra o seu corpo. Instintivamente, ela cravejou suas costas com as unhas longas e vermelhas. Ela ofegava, gemia e se afogava no prazer daquele momento, um beijo extremamente sensual, carregado de erotismo e com mãos atrevidas passeando por todo o seu corpo.
Inesperadamente, ele segurou-a pelos ombros e a fez ajoelhar na sua frente. Retirou de dentro da calça o membro duro e forçou a entrada entre os lábios dela. Aquele membro roliço e quente entrava e saía da sua boca, num compasso e ritmo ditado por ele, que a segurava e puxava pelos cabelos.
Ela sempre sonhou ter um membro na sua boca e desejava sentir o gosto de um orgasmo, do mesmo jeito que via nos vídeos pornográficos, que assistia à noite no seu quarto furtivamente. Ele queria ter um orgasmo naquela boca e sem muita demora gozou fartamente. 
Ainda segurando-a pelos cabelos, fez ela olhar dentro dos seus olhos. Ela olhou-o como quem realizara um sonho e mostrou-lhe o sêmen abrindo a boca e recebeu um leve tapinha no seu rosto, seguido por um desejo dele, qual e tal uma ordem:
- Engula!
Ela engoliu de todo, até a última gota, lambendo os lábios e chupando os dedos. Ele guardou o membro dentro das calças e foi embora satisfeito. 
Ao contrário do que haviam lhe ensinado, ela não se sentiu uma mulher fácil e nem mesmo um objeto, também notou que não se sentiu mal e que um gozo na boca é delicioso e até faz bem. Tomou o caminho da sua casa e enquanto caminha, pensava que pela primeira vez  se sentira mulher. 
Nos poucos instantes que haviam passado e que divagava enquanto caminhava, nem percebeu e já estava de volta na sua casa. Seus pais não perceberam que ela tinha chegado e não precisou de uma desculpa para disfarçar o cheiro, que estava impregnado na sua boca. 
Foi para o banheiro, escovou os dentes e com muita água lavou a boca. Subitamente veio-lhe um pensamento, o que diriam seus pais se descobrissem o que ela havia feito. Mas logo, decidida afastou aquele pensamento:
- Que se fodam!
Ela tinha muito à fazer, mas poderia deixar tudo para depois. Antes de qualquer coisa tinha que escrever e registar para a posteridade os últimos acontecimentos:
Querido Diário,
Hoje perdi um terço da minha virgindade, fiz meu primeiro boquete! Foi delicioso e nunca vou esquecer! Agora falta-me apenas dois terços, meus outros dois orifícios que se mantém intactos! Mas eles não perdem por esperar!

--------------------------------------------------------------
© COPYRIGHT BY "PENSAMENTO INDECENTE"
Todos os Direitos Reservados
All Rights Reserved
DIREITOS AUTORAIS PROTEGIDOS
Cópias e publicações permitidas, desde que acompanhadas dos créditos à autora do texto e link para para este blog: PENSAMENTOINDECENTE.COM
.

2 comentários :

  1. Fazia muito quando ainda tinha cabaço...

    ResponderExcluir
  2. Saudades de vir aqui e te ler menina!!!
    Excelente.... cada dia melhor....
    Quanto aos dois buraquinhos dela... eu posso ajudar!!!!

    ResponderExcluir

***********************************
ATENÇÃO COMEDORES, leiam antes de comentar:
Comentários que contenham, endereço de e-mail, telefones e propostas para relacionamentos, não serão publicados, para isso existem sites especializados. Também terão o mesmo destino, comentários ofensivos, discriminatórios e preconceituosos.
***********************************
OBRIGADA PELA SUA VISITA!